Raquel Lyra toma posse na Alepe e se torna primeira mulher no Governo de Pernambuco


A governadora Raquel Lyra foi empossada neste domingo (1º) pela Assembleia Legislativa de Pernambuco, tornando-se a primeira mulher da história republicana a comandar o estado. Ela fez uma convocação de união por Pernambuco em seu primeiro discurso, antes de dirigir-se caminhando ao Palácio do Campo das Princesas para a transmissão do cargo. A vice-governadora Priscila Krause também foi empossada durante a Reunião Solene, realizada no plenário Eduardo Campos, no edifício Miguel Arraes.

Oriunda de uma família de políticos, a ex-prefeita de Caruaru Raquel Lyra recebeu mais de 3 milhões de votos (58,7% dos válidos) no segundo turno da eleição, realizado em 30 de outubro de 2022. Ela será a 58ª ocupante da cadeira de governadora, sucedendo Paulo Câmara  (PSB), que esteve à frente do Governo do Estado nos últimos oito anos.

Citando o aumento da miséria e da violência como alguns dos principais problemas a serem enfrentados, Raquel prometeu liderar a reconstrução do estado. Ela anunciou uma reforma administrativa “para reorganizar a máquina do estado”. “Do lado de fora destes salões, milhões de mães e pais não sabem se darão aos filhos as próximas refeições ou seguem sem acesso à água. No Interior, mulheres carregam seus filhos no ventre sem saber onde vão dar à luz, por falta de maternidade, e outras tantas não têm creche para deixar os filhos para poder ir atrás de trabalho. É pra elas que vamos governar”, disse.

Ela rejeitou a polarização política, defendeu o diálogo e afirmou que voltava à Casa de Joaquim Nabuco com o mesmo espírito de quando sentou pela primeira vez numa cadeira de deputada estadual. “Aqui aprendi que é pelo caminho da política que podemos fazer mais diferença na vida das pessoas”, acentuou. “Precisaremos de toda ajuda para enfrentar os desafios que virão pela frente. Todos temos o dever de cuidar de Pernambuco, de nossa gente, de nosso legado histórico e cultural e construir um futuro melhor para nossos filhos e filhas”, emendou.

Antes dela, o presidente da Alepe, deputado Eriberto Medeiros (PSB) afirmou que o feito inédito de Pernambuco, ao eleger a primeira chapa 100% feminina para governar um estado brasileiro, inaugura um novo tempo na história. “Esse pioneirismo protagonizado por Raquel Lyra e Priscila Krause só poderia acontecer em solo pernambucano, na terra de Brites de Albuquerque, a primeira governante das américas, e das guerreiras de Tejucupapo”, afirmou. 

Medeiros ainda destacou os “mandatos memoráveis” de ambas na Alepe. “Com altivez, independência e harmonia, este parlamento estará sempre pronto para apoiar e aprovar os projetos estruturantes para o nosso estado, mas também para corrigir rotas e apontar os caminhos que considera mais frutíferos para todas e todos”, pontuou.

Nascida no Recife em 1978, Raquel Teixeira Lyra Lucena é filha de João Lyra Neto, ex-prefeito de Caruaru e ex-governador de Pernambuco, e de Mércia Lyra. Também é neta do ex-prefeito de Caruaru João Lyra Filho e sobrinha do ex-ministro da Justiça e ex-deputado federal Fernando Lyra. Em sua carreira profissional, foi advogada, delegada da Polícia Federal e, de 2007 a 2010, chefiou a Procuradoria de Apoio Jurídico e Legislativo do governo de Eduardo Campos. Em 2011, foi secretária estadual da Criança e da Juventude. 

Eleita deputada estadual pelo PSB duas vezes, exerceu mandatos de 2011 a 2016, quando saiu do Parlamento para assumir a Prefeitura de Caruaru pelo PSDB, cargo para o qual se reelegeu em 2020. Na Alepe, chegou a presidir a Comissão de Justiça (CCLJ). Raquel Lyra é viúva do empresário Fernando Lucena, que faleceu na manhã do dia 2 de outubro de 2022, dia das eleições, em Caruaru, vítima de um enfarto fulminante, com apenas 44 anos. 

Já a vice-governadora Priscila Krause Branco deixa o posto de parlamentar na Alepe, que ocupa desde 2015, para assumir seu papel no Executivo estadual. Também nascida em 1978, a jornalista recifense é filha do ex-governador e ex-prefeito do Recife Gustavo Krause e de Clea Borges, falecida de Covid-19 em fevereiro de 2021. Foi filiada ao extinto DEM (Democratas) desde os 16 anos de idade, quando a legenda ainda se chamava PFL (Partido da Frente Liberal). Foi vereadora do Recife por três mandatos consecutivos, entre 2005 e 2014. Hoje Priscila integra o partido Cidadania.

No início da solenidade, ao chegar ao Plenário, a governadora Raquel Lyra foi conduzida à mesa dos trabalhos pelos líderes do Governo e da Oposição na Alepe, os deputados Isaltino Nascimento (PSB) e Antonio Coelho (União), respectivamente. Após a execução do Hino Nacional, o presidente Eriberto Medeiros recebeu as declarações públicas de bens das empossadas.

Na sequência, a governadora e a vice proferiram, perante a Mesa Diretora, o termo de compromisso constitucional de posse, em que prometem manter, defender e cumprir a Constituição da República Federativa do Brasil e a do Estado, respeitar as leis, promover o bem coletivo e exercer o cargo sob a inspiração das tradições de lealdade, bravura e patriotismo do povo pernambucano. 

A mesa do trabalhos foi composta ainda pelo deputado Pastor Cleiton Collins (PP), na condição de primeiro-secretário em exercício; pelo desembargador Luiz Carlos de Barros Figueirêdo, presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE); pelo desembargador André Guimarães, presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) e pelos ex-governadores Gustavo Krause, João Lyra Neto e Mendonça Filho.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade