Galpão das Artes abre as portas para fomento do empreendedorismo cultural no Agreste


Dando continuidade colaboração ao desenvolvimento social, cultural e econômico, o Centro de Criação Galpão das Artes, sediado em Limoeiro, recebeu, no período de 10 a 13 de janeiro, o curso “Caça aos Sentidos do Empreendedorismo Cultural e Criativo”. A iniciativa teve o objetivo de apresentar o universo do empreendedorismo cultural através de três eixos centrais: desenvolvimento pessoal, estruturação de negócios e carreiras artísticas e captação de recursos via editais culturais.

O grupo participante teve a oportunidade de conhecer detalhes do universo do empreendedorismo cultural, segmento que tem apresentado oportunidades em todas as regiões do estado. Idealizado e executado pela produtora e empreendedora cultural Eliz Galvão, por meio da empresa dela, Liga Criativa, o projeto conta com o incentivo do Funcultura Pernambuco, contemplando as regiões do Agreste Meridional e Agreste Setentrional, sendo Garanhuns e Limoeiro as sedes, respectivamente.

O curso tem oportunizado formação gratuita, presencial e acessível em Libras para agentes culturais, tendo como público-alvo artistas, estudantes de artes e produtores culturais domiciliados nas regiões contempladas. A formação atende um público de 20 pessoas em cada polo. Os encontros online acontecerão de 16 a 19 de janeiro através da plataforma Zoom. Ao término dos quatro dias de formação presencial, os participantes recebem certificado.

“Agora vamos para parte online, onde durante quatro dias vamos trabalhar captação de recursos e elaboração de projetos. A gente vai tentando simplificar esse trabalho, mostrar que empreender é possível, realizar sonhos é importante, e que a gente tem que aproveitar ao máximo dessa vida para poder concretizar nossos desejos. Empreender na vida e nos negócios faz parte também do sonho de cada pessoa e é preciso que as pessoas impulsionem isso”, pontuou a palestrante.

Para o diretor do Centro de Criação Galpão das Artes, Fábio André, a instituição atua mais uma vez como “palco” para o desenvolvimento cultural com o olhar coletivo. “A importância do Centro de Criação Galpão das Artes abrir as portas para esse curso especificamente é o de legitimar oportunidades de formação para o setor cultural. Desde a mulher que cozinha a pamonha até o músico que embala uma noite agradável. Criar também é se organizar e principalmente planejar”, afirmou André.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade