Festival Caboclo celebra tradição do coco de roda com programação virtual

Evento visa valorizar, divulgar, promover e enfatizar a tradição do coco de roda, manifestação cultural que tem raiz na cidade de Lagoa de Itaenga, na região da Zona da Mata Norte pernambucana. A transmissão da grade artística acontece nesta segunda-feira, 31 de março, às 20h, no canal do festival no Youtube


Pulsante território artístico e cultural de Pernambuco, a cidade de Lagoa de Itaenga, na região da Mata Norte, será palco, nesta segunda-feira, dia 31 de março, da 1ª edição do Festival Cultural Caboclo. O evento visa valorizar, divulgar, promover e enfatizar a tradição do coco de roda, manifestação cultural presente na história do município. Na programação, dança, música, debate e apresentações artísticas prometem animar o público, que poderá acompanhar tudo pela internet, por meio do canal oficial do festival no Youtube, (encurtador.com.br/uzAJX) , a partir das 20h. 

        A festividade, idealizada pelo poeta Bio Caboclo, de 60 anos, violeiro, mestre de maracatu rural e de coco de roda, terá a presença de vários artistas locais e regionais. Integram a grade artística, o Coco de Borges Lucas com participação especial do Coco do mestre Reginaldo Cipriano (Lagoa de Itaenga); Coco de Bojo da Macaíba e Coco de Fulô (Cabo de Santo Agostinho). Destaque para o  Grupo Cultural Caboclo que tem à frente o coquista poeta Bio Caboclo e seus filhos: Josivaldo Caboclo, Josuel Caboclo e Josenildo Caboclo.  Juntos, eles vão apresentar uma mistura de ritmos, evolução e versos de improvisos. 

       O festival também propõe disponibilizar uma oficina, em vídeo pré-gravado, sobre algumas curiosidades sobre os ritmos, sons e movimentos do Grupo Cultural Caboclo. A  ideia é levar os espectadores para uma viagem nas danças populares, de origem africana e indígena, principalmente, entre os cocos de umbigada e coco de mazuca. Material pode ser acessado no canal do festival no Youtube, gratuitamente. 

     A programação também inclui uma roda de diálogo com participação dos artistas do festival e brincantes do coco de roda. O cenário dessa conversa foi gravado no Sítio Cultural Caboclo, Zona Rural de Lagoa de Itaenga. 

     Em atividade há 30 anos, o Grupo Cultural Caboclo, já coleciona cerca de 11 álbuns gravados de coco de roda, além de três álbuns de maracatu rural; e outros dois álbuns de viola e um  álbum de ciranda.  Ao longo de três décadas, a Família Caboclo, como também é conhecida, têm revigorado e disseminado a arte da cultura popular entre o público de todas as idades. 

     Durante esse tempo, o poeta Bio Caboclo e seus filhos já viajaram várias regiões do Brasil, espalhando sua arte e a cultura pernambucana, como a 3ª mostra Brasil, “Brasil de todas as cores”, em 2010, no teatro Carlos Gomes, Rio de Janeiro; Encontro das Diversidades, Arco da Lapa, 2010, Rio de Janeiro; 9º FIL – Festival Internacional de Linguagens, Teatro Oi Casa Grande, 2011, Rio Janeiro, Festival de Inverno de Garanhuns -PE, 2018. 

A 1ª edição do Festival Caboclo é realizada com incentivo da Lei Aldir Blanc – PE, Secretaria de Cultura, Governo de Pernambuco e Governo Federal. A produção artística é da Amata Produção e Serafim Produção. 

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade