Semas participa de lançamento do plano de conservação da Mata Atlântica de Aliança


A Prefeitura de Aliança realiza amanhã (06), a partir das 8h, no auditório da Unidade Educacional do município (UEPA), o lançamento do seu Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica. O documento norteador das ações de proteção para os remanescentes florestais do Bioma, que hoje abrange 4,99% da área total do município (cerca de 1.350 hectares), foi elaborado pela equipe técnica da coordenação de meio ambiente da prefeitura, com a colaboração das equipes de conservação da biodiversidade da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e da Unidade Integrada de Gestão Ambiental da CPRH, com sede em Carpina. O evento integra as atividades do Mês do Meio Ambiente de Pernambuco, realizadas numa parceria da Semas, Agência CPRH e Parque Estadual Dois Irmãos, com apoio da Superintendência do Patrimônio da União em Pernambuco (SPU/PE), Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Porto Digital e Comissão Técnica do Projeto Orla/PE.

Paulo Teixeira, Gerente de Desenvolvimento Sustententável da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, ressalta a importância da conclusão do sétimo Plano Municipal elaborado no estado: “O documento demonstra o apoio do Governo de Pernambuco à região da Mata Norte, através do apoio técnico aos municípios e na interação com atores locais, para a elaboração participativa dos seus Planos de Mata Atlântica. É a partir dele que o governo municipal e a sociedade podem implementar ações concretas de curto, médio e longo prazos, tendo como prioridade a recuperação das áreas degradadas e das áreas de preservação permanente (APPs), localizadas ao longo dos rios, em especial uma área de 6.652,58 hectares da bacia hidrográfica do Rio Siriji”.

O processo de criação do documento e do mapa com informações e localização das matas existentes, contendo indicação das prioridades (alta, moderada, baixa) com relação à conservação e recuperação da vegetação nativa e das APPs, destaca como alta prioridade para a conservação a Mata do Pico do Jito, com 413 hectares. As áreas consideradas como de moderada prioridade foram as do Assentamento Maré e Oiteiro Alto, respectivamente, com 2.030,98 e 2.084,06 e, como baixa prioridade, a região do Engenho Terra Nova e do Assentamemnto Ajudante, num total de 12.093,76 hectares destacados no Plano como Áreas Prioritárias de Conservação e Recuperação (APCR).

Saiba mais sobre os PMMAs:

Os Planos Municipais foram instituídos pela Lei Federal nº 11.428/2006 (Lei da Mata Atlântica). É através deles que os municípios assumem sua parte na proteção dessa importante floresta e podem ser beneficiados com recursos do Fundo de Restauração do Bioma Mata Atlântica, além de receberem investimentos e concorrerem a projetos para conservação de remanescentes de vegetação nativa, pesquisa científica ou áreas a serem restauradas. O Plano reúne e normatiza os elementos necessários à proteção, conservação, recuperação e uso sustentável da Mata.

O Estado de Pernambuco conta agora, com o lançamento do PMMA de Aliança, com os Planos Municipais de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica de Bonito e Timbaúba, lançados em 2017; Carpina, Vicência e Paudalho, em 2016 e Glória do Goitá, em 2012.

SERVIÇO – LANÇAMENTO DO PLANO DE CONSERVAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA DO MUNICÍPIO DE ALIANÇA

Dia: 6 DE JUNHO (quarta-feira)
Local: Unidade Educacional da Prefeitura de Aliança (UEPA) – Av. Dr. Genésio Gomes de Morais, Aliança – PE
Horário: 8h

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade

  • Black Friday