Sábado é Dia D de vacinação contra o sarampo para crianças de 6 meses a 4 anos

Ação é voltada exclusivamente para meninos e meninas que ainda não iniciaram ou não finalizaram o esquema de imunização


A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) está mobilizando os municípios pernambucanos para o Dia D de vacinação contra o sarampo, que será realizado neste sábado (19). A ação é voltada exclusivamente para meninos e meninas de 6 meses a 4 anos que ainda não iniciaram ou não finalizaram o esquema de imunização. A SES-PE reforça com os pais ou responsáveis a importância de aderir à iniciativa e de comparecer à unidade de saúde ou ao posto volante munido da caderneta de vacinação da criança. É importante também verificar com a secretaria municipal de Saúde os locais que serão disponibilizadas a vacina. Os secretários de Saúde do Estado e do Recife, André Longo e Jailson Correia, respectivamente, farão a abertura do Dia D no Centro de Saúde Francisco Pignatári (Estrada do Arraial, 4155, Casa Amarela), a partir das 8h do sábado. 

“A vacina tríplice viral, que protege, além do sarampo, contra a rubéola e a caxumba, está disponível de rotina nos postos de saúde, que estão sendo abastecidos normalmente. O Dia D é mais um momento para que os pais ou responsáveis possam levar as crianças para tomar as doses que faltam ou para tirar dúvida se o esquema vacinal está completo ou não. Fazemos esse apelo para que todo o público entre 6 meses e 4 anos receba as doses necessárias o quanto antes, o que é indispensável para evitar novos casos e até mesmo mortes pelo sarampo”, frisa André Longo. O gestor lembra que, em setembro, na região do Agreste, por causa da situação epidemiológica, já foram realizados dois “Dia D”, o primeiro em Taquaritinga do Norte e o segundo nos demais 31 municípios que englobam a IV Gerência Regional de Saúde (Geres).

De janeiro a junho, Pernambuco vacinou 163.298 pessoas contra o sarampo, sendo 115.152 doses no público até os 4 anos. Já entre julho e o dia 05 de outubro, foram mais 387.123 doses aplicadas, com 116.436 crianças até 4 anos imunizadas com a tríplice viral. Esse montante representa um aumento de 137% no público vacinado quando comparados os seis primeiros meses do ano com pouco mais de três meses do segundo semestre. Ao todo, Pernambuco já protegeu 550.421 pessoas (231.588 entre 6 meses e 4 anos).

Quando analisada a população com 1 ano, Pernambuco já atingiu uma cobertura vacinal de 98%, percentual acima da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde (MS), de 95%. Na segunda dose, o percentual está em 74,5%. “Precisamos comemorar a meta da primeira dose para as crianças de 1 ano, mas continuar convocando aquelas que ainda não iniciaram o esquema para serem vacinadas, além da volta para a segunda dose, que, nessa faixa etária, deve ser após três meses da aplicação da primeira”, pontua o secretário estadual de Saúde. A partir dos 2 anos, caso o menino ou menina ainda não tenha começado o esquema vacinal, as duas doses devem ser feitas com um intervalo de um mês entre elas.

“Também precisamos lembrar que, neste ano, ficou estabelecida uma ‘dose zero’ para as crianças de 6 meses a 11 meses. Quando elas completarem o primeiro ano, as duas doses do calendário básico devem ser feitas normalmente”, relembra Longo.

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

CASOS: Até o dia 05.10, foram notificados em Pernambuco 867 casos suspeitos de sarampo. Desses, 56 foram confirmados, 292 descartados e os demais estão em investigação. A maior parte dos casos (92,9%) ocorreu na IV Geres, que compreende cidades do Agreste, e os demais (7,1%) na I Geres (Recife e Jaboatão dos Guararapes). Os municípios com confirmações são: Taquaritinga do Norte (19), Vertentes (9), Santa Cruz do Capibaribe (9), Toritama (7), Caruaru (6), Recife (3), Jaboatão dos Guararapes (1), Bezerros  (1) e Frei Miguelinho (1).

A Secretaria Estadual de Saúde reforça que as ações de vigilância epidemiológica (investigação dos casos e vacinação de bloqueio), além da assistência ao paciente, são iniciadas logo após a notificação do caso, ou seja, independente do resultado laboratorial. A medida busca evitar o agravamento do caso e a propagação da doença. As medidas são realizadas pelos municípios com o apoio das Geres e do Estado.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade