Um lixão que estava em funcionamento há 22 anos foi desativado pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), em Surubim, no Agreste pernambucano. O último dia de operações no local, que funcionava à margem do rio Caiaí, afluente do rio Capibaribe foi a terça-feira (16).

“Todo o resíduo gerado no município de Surubim será levado agora para o aterro sanitário localizado em Caruaru. Isto significa melhoria na condição ambiental da região, com repercussão direta na qualidade de vida da população do município, que deixa de sofrer as consequências provenientes do lixo depositado a céu aberto”, comentou o  diretor de controle de fontes poluidoras da CPRH, Eduardo Elvino. 

Com isso, sobe para 114 a quantidade de municípios pernambucanos que passaram a tratar corretamente os seus resíduos sólidos, destinando os mesmos para aterros sanitários licenciados. No ano de 2020,  além de Surubim,  outros três  municípios pernambucanos encerraram as atividades dos lixões:  Camaragibe, Timbaúba e Palmares. 

Restam 71 municípios para se adequarem às Políticas Nacional e Estadual de Resíduos Sólidos e passarem a destinar corretamente os seus resíduos. O processo de desativação dos lixões envolve, além da CPRH, a  Prefeitura local, e conta com o apoio do Ministério Público Estadual.

A área onde funcionava o lixão passará por tratamento. “Será um processo de remediação ambiental, que consistirá na organização, tratamento e monitoramento da área contaminada, a fim de propiciar, no futuro, um local menos insalubre para os habitantes do entorno da área”, explicou a analista ambiental Anna Eduarda Falcão, da CPRH.  

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade