Estandartes de agremiações de caboclinhos de Goiana serão expostos em Minas Gerais


Agremiações de caboclinhos de Goiana e demais manifestações culturais das cidades da Zona da Mata Norte de Pernambuco terão seus estandartes expostos em mostra na Casa Fiat de Cultura, em Belo Horizonte, no segundo semestre deste ano. Os adereços foram confeccionados dentro do projeto de incentivo cultural da Jeep, que ofereceu oficinas de estandartes e gaitas, no ano passado. O anúncio, feito na tarde desta terça (11), em coletiva de imprensa, confirma a nova edição do projeto que visa beneficiar mais 14 grupos.

“Vamos levar uma mostra da riqueza cultural de Pernambuco e unir com a cultura mineira também popular. Queremos um diálogo entre a cultura do maracatu rural e caboclinhos do carnaval pernambucano com Minas Gerais, e, com isso, daremos destaque ao trabalho que é feito com os estandartes”, explica Fernão Silveira, diretor de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da Fiat Chrysler Automóveis (FCA) para a América Latina. A ação propõe, ainda, promover o resgate histórico e a reestruturação das Pretinhas do Congo de Carne de Vaca, expressão cultural típica da região que completa 90 anos em outubro deste ano.

“Seguimos apoiando as iniciativas da cultura popular pernambucana com o intuito de reafirmar a nossa presença no carnaval do estado, principalmente para a Zona Rural da Mata Norte, que é vizinha da nossa planta industrial. Queremos auxiliar fornecendo os recursos para que os grupos possam se renovar e manter a tradição”, afirma Fernão. Com suas instalações industriais situadas no município de Goiana, a Jeep decidiu, desde o ano passado, abraçar as tradições carnavalescas de grupos tradicionais baseados em municípios no entorno da fábrica.

Reafirmando o compromisso com a cultura estado, a marca confirmou, em coletiva de imprensa, que estará presente no Galo da Madrugada no sábado de carnaval. Na ocasião, as agremiações foram convidadas, pelo diretor de marketing do bloco, Guilherme Menezes, para desfilar com seus novos estandartes. Para Menezes, é importante incentivar os mais jovens a dar continuidade ao movimento cultural. “O Galo tem como intuito resgatar a cultura pernambucana, recriando a base, ou seja, ensinando os mais jovens a dar continuidade às manifestações culturais. O nosso papel é atuar como agente dissipador da cultura”, pontua Guilherme Menezes, que também fez um convite para que os estandartes sejam expostos na sede do Galo.

A partir do segundo semestre, a Jeep apoiará a realização de uma nova fase da Oficina de Confecção de Estandartes que vai contemplar 14 agremiações de Goiana, Itapissuma, Aliança, Tracunhaém, Itambé, Itaquitinga, Condado e Buenos Aires. De acordo com Fernão, o objetivo é ensinar desde o corte, a criação do desenho, o bordado e o fechamento de cada estandarte. A oficina será ministrada por Manuelzinho Salustiano, um Mestre do Bordado e da confecção de Estandartes. “Uma agremiação que não tem um estandarte não é nada. Tem grupos que tentam, há 10 anos, fazer um estandarte, mas não tem condições de pagar. Com esse projeto, ensinaremos cada agremiação a fazer o seu próprio estandarte, mantendo suas cores, respeitando a história”, destaca.  

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade