Carpina: Obra no centro da cidade não passa no teste e causa problemas no centro da cidade


image
A obra de drenagem para escoamento da água da chuva na Rua Agostinho Bezerra (Beco das Três Mijadas), no centro da cidade do Carpina, é uma prova de que as vezes o dinheiro público é mal investido. Sem planejamento a obra se arrastou por um pouco mais de um ano, gerando transtornos a pedestres e comerciantes da via. e quando chovia, nesse período, a rua se transformava em um lago.

A obra trouxe uma série de problemas. Abandonada por meses, danificações na rede de comunicação do centro, deixando por dias várias pessoas incomunicáveis, trânsito interditado, veículos presos a buracos além de outros gerados ao longo da entrega da obra. Iniciada em março de 2014 a obra passou meses paradas, sendo retomada em março deste ano.

image

Em seu primeiro teste, após inaugurada, a obra foi reprovada. O sistema de de drenagem instalado mostrou ineficiência para absolver a quantidade de água da chuva voltando a ficar acumulada na rua, deixando a via alagada durante o período de duração da chuva. Para ser concluída a rede foi estendida até a Rua Dr. Rawlisson, passando pela a Herculano Bandeira.

image
A obra de expansão trouxe alguns problemas para pedestres. Buracos e poças d’águas se formam ao longo da obra. A camada asfáltica usada para cobrir a obra começou a ceder. Uma criança, filha de um delegado da cidade, caiu em um deses buracos causado escoriações pelo corpo. José Gervásio disse que irá entrar com uma representação contra a prefeitura. Alguns comerciantes da Rua Herculano Bandeira reclamam dos locais de passagem, que viram um chafariz em dias de chuva, devido a pressão da vasão da água.

A prefeitura enviou uma nota, sobre o caso:

A Prefeitura de Carpina através da Secretaria de Obras informa que o editor do Giro Mata Norte, o comunicador Rafael Santos, conferiu in loco na manhã de hoje, mesmo depois de uma chuva torrencial, o estado da Rua Agostinho Bezerra, conhecido como Beco das Três Mijadas estava sem nenhum acúmulo de água e com fácil trânsito de pedestre e carros, diferente como era o passado.

Contrariando a afirmação publicada na matéria, “é uma prova de que as vezes o dinheiro público é mal investido”. Os usuários não concorda com tal afirmação, sobretudo os comerciantes que está no entorno pela acessibilidade e melhoras no trajeto.

Em alguns pontos parte da rua cedeu, também hoje pela manhã, a Secretaria de Obras já estava com o compactador e equipe trabalhando para regularizar. Segundo a equipe técnica da pasta, é necessário concluir a recompilação do asfalto e pavimentação em um período de estiagem.

As fotos asseguram e confirma o que foi relatado.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade