“Todas as testemunhas, de maneira unânime, contradizem que o PM atirou em legítima defesa”, diz delegado de Glória do Goitá

Por Giro Mata Norte 18/08/2020 13:45 • Atualizado 18/08/2020
Compartilhe

O município de Glória do Goitá esteve bastante movimentado nesta terça-feira(18) por conta da repercussão da morte de um jovem assassinado por um policial militar.

Um protesto reuniu dezenas de pessoas pedindo justiça e a punição do policial militar Isaías Araújo Leite, acusado de atirar no jovem Adelino Costa Júnior, de 22 anos de idade, após desentendimento em um bar no município de Glória do Goitá.

O protesto seguiu destino a delegacia de polícia, onde testemunhas foram escutadas durante oitiva.

O PM se apresentou no domingo (16), dia após o crime, acompanhado de advogados, alegando legítima defesa, situação que foi descartada pelo delegado titular Dr° Erivaldo Guerra, após escutar as testemunhas nesta terça.

“Todas as testemunhas, de forma unânime, contradizem sobre a legítima defesa dita pelo PM. O inquérito será concluído e o PM será indiciado pelo crime de homicídio doloso”, disse o delegado.

De acordo com o advogado de acusação, Dr Rodrigo Marinho, a família aguarda que o PM seja punido tanto no âmbito administrativo como no judicial.

A prisão do acusado pode ser decretada nos próximos dias.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mais do Giro Mata Norte