Prefeito de Limoeiro deixa o PSB: “caráter irrevogável e irretratável”


Dois dias após ser derrotado na disputa pela prefeitura de Limoeiro, o prefeito João Luís anunciou sua desfiliação do Partido Socialista Brasileiro (PSB). O gestor municipal estava há 20 anos no núcleo socialista e era o atual presidente da sigla no município. Em nota, “Joãozinho”, como é conhecido politicamente disse que a decisão é “em caráter irrevogável e irretratável”. Para justificar o motivo disse apenas que foi uma questão de ordem pessoal.

O pedido de “desembarque” do PSB foi feito nesta terça-feira (17) através de ofício encaminhado ao presidente estadual da legenda, Sileno Guedes, e à Justiça Eleitoral. “Após 20 anos de militância em defesa das transformações sociais e das liberdades civil e política, venho requerer a minha desfiliação deste partido”, disse a nota encaminhada pela assessoria de João Luís. O documento não adianta o futuro partidário dele. 

Joãozinho foi eleito prefeito de Limoeiro pelo PSB em 2016 com 17.584 votos. Quatro anos depois, na disputa pela reeleição, sua votação despencou para 8.664, o deixando apenas na terceira colocação. Ele ficou atrás do prefeito eleito Orlando Jorge (Podemos), que alcançou a marca de 12.465 votos, e do seu próprio vice, Marcelo Motta (Avante), com quem rompeu politicamente após as eleições de 2018, e que obteve 10.595 votos. 

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade