Sepultamento dos restos mortais de Eduardo Campos encerra despedidas

Estimativa é que mais de 100 mil pessoas tenham comparecido ao velório no Palácio do Campos das Princesas e ao enterro no Cemitério de Santo Amaro


Foto: Guga Matos/JC Imagem

Foto: Guga Matos/JC Imagem

Os restos mortais de Eduardo Campos foram sepultados por volta das 19h deste domingo (17), no Cemitério de Santo Amararo, na área central do Recife. O enterro foi acompanhado de perto por familiares, amigos e líderes políticos de todas as tendências.

O caixão do ex-governador saiu em cortejo do Palácio do Campo das Princesas, sede do governo de Pernambuco, e foi conduzido por cerca de 2 quilômetros, acompanhado de uma multidão, até o local do túmulo, ao lado do avô Miguel Arraes e de um tio.

A Polícia Militar estima que mais de 100 mil pessoas tenham comparecido ao velório, desde as primeiras horas do domingo, e ao enterro.

Inicialmente, o sepultamento seria fechado, mas a pedido da multidão, os portões do Cemitério de Santo Amaro foram reabertos para a população. Os populares jogaram flores sobre o caixão do ex-governador. Guardas municipais abriam o caminho pelo povo. Dois dos filhos de Eduardo Campos pediam que a multidão abrisse caminho.

Uma lápide do cemitério desmoronou devido a quantidade de pessoas que estavam em cima.

Com chapéus de palha na cabeça, João e Pedro ajudaram a carregar o caixão do pai. José, o quarto filho, usava um chapéu de vaqueiro. Na hora da despedida, a família, amigos, políticos e população cantaram. Uma queima de fogos, de aproximadamente 15 minutos, foi feita em homenagem a Eduardo.

O ex-candidato à Presidência pelo PSB falceu na manhã da última quarta-feira (13) em acidente aéreo na cidade de Santos, litoral de São Paulo. Os jornalistas Carlos Percol, Alexandre Severo, Marcelo Lyra, o assessor político Pedro Vadalares e os pilotos Marcos Martins e Geraldo Magela também morreram na tragédia.

Os restos mortais de Eduardo chegaram à Base Aérea do Recife, na Zona Sul, às 23h05 do último sábado (16) e seguiram em carro do Corpo de Bombeiros até a sede do governo, passando por 10 bairros da capital. Apesar da hora, uma multidão foi às ruas para acompanhar o trajeto, de carro, motocicleta, bicicleta, andando e acenando das janelas.

O percurso durou cerca de 2 horas. Três filhos do socialista estavam em cima do carro dos Bombeiros. Na chegada, muita gente já esperava o caixão. Logo depois foi dado início ao velório, na frente do Palácio, com a presença dos outros dois filhos, da viúva Renata Campos e autoridades.

Por volta das 10h deste domingo, o arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, celebrou missa campal. Estavam presentes o ex-presidente Lula, a presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff, a até então vice na chapa do PSB Marina Silva, os presidenciáveis Aécio Neves (PSDB), Pastor Everaldo (PSC) e Eduardo Jorge (PV).

VELÓRIO – Os corpos de Alexandre Severo e de Carlos Percol também foram velados no Palácio do Campo das Princesas. Percol foi sepultado um pouco mais cedo, no próprio Cemitério de Santo Amaro. A cremação de Severo ocorreu no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, no Grande Recife.

Os familiares de Marcelo Lyra optaram por uma cerimônia particular. O sepultamento também ocorreu no Morada da Paz.

Os restos mortais de Pedro Valares foram levados para Sergipe. O corpo de Geraldo Magela foi sepultado no interior de Minas Gerais. E o de Marcos Martins seguiu para o interior do Paraná, onde foi enterrado.


Leia também»

Com Informações do JCOnline.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade

  • Black Friday