Gustavo Gouveia tem Projeto de Resolução que propõe a Romaria de São Severino do Ramos, como Patrimônio Cultural e Imaterial de Pernambuco aprovado


O Projeto de Resolução Nº 3783/2022, de autoria do deputado Estadual, Gustavo Gouveia, foi aprovado por unanimidade pela Comissão de Constituição, Legislação e Justiça da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), nesta segunda-feira (12), durante a reunião da comissão. O Projeto ainda será discutido e colocado para aprovação na Comissão de Educação e Cultura, para depois se tornar lei. De acordo com o PR, com o objetivo de promover a proteção e a valorização da cultura pernambucana e de seus elementos religiosos, além de considerar os benefícios para a economia local e regional advindos do turismo rural e religioso, com a visitação de inúmeros fiéis. Submete assim a indicação da Romaria de São Severino do Ramos para obtenção do Registro do Patrimônio Cultural Imaterial de Pernambuco.
A iniciativa de Gustavo Gouveia prevê um a valorização e proteção da cultura Pernambucana e seus elementos religiosos, além de considerar benefícios para a economia local do município.

São Severino do Ramos

Situada em terras do antigo Engenho Ramos, no Município de Paudalho, a Capela de Nossa Senhora da Luz é destino de grande número de romeiros. Anualmente, muitos se dirigem para lá, principalmente no período de novembro a janeiro, para venerar a imagem do mártir São Severino, tida como milagrosa. Reza a tradição local que uma das proprietárias do antigo Engenho tinha um filho sacerdote. Este, indo à Europa, de lá trouxe-lhe como presente a imagem do Santo. E, assim, a rota de fé foi paulatinamente adotada por milhares de romeiros do Brasil. Hoje, o Santuário de São Severino do Ramos é considerado o maior centro de romaria de Pernambuco e o terceiro do país.Severino era soldado do imperador Maximiniano Hércules, que governou Roma de 286 a 305, e ficou conhecido pela perseguição aos adeptos da doutrina cristã. Adepto ao cristianismo, Severino deixou por isso os serviços do exército. O Imperador Maximiniano, inconformado, mandou perseguir e prender Severino, obrigando-o até a morte a negar o cristianismo, o que Severino não fez, tendo sua execução ordenada no ano de 304.Ao lado da capela foi construída, pelos proprietários das terras e da capela, um depositário de ex-votos: objetos diversos e fotografias, que representam oferendas dos fiéis ao Santo, em reconhecimento pelas graças alcançadas.A designação de São Severino “do Ramos” se refere, na verdade, ao santo localizado no Engenho “do Ramos”, e não a outro mártir da igreja católica.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade