Alepe rejeita parecer de inconstitucionalidade para incluir igrejas em serviços essenciais. Projeto volta a comissões


O plenário da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) rejeitou, nesta quinta-feira (11), o parecer da Comissão de Legislação de Justiça (CLJ) contrário à inclusão de atividades religiosas como serviços essenciais.

Dos 46 deputados presentes (três faltaram), nove foram favoráveis ao parecer, 29 contrários e 7 estavam presentes na sessão e não votaram.

A sessão ocorre por videoconferência em razão da pandemia de covid-19.

Foi rejeitado o parecer da CLJ, que tinha como relator o deputado estadual João Paulo (PCdoB). Com isso, o projeto agora voltará para debate nas comissões da Alepe.https://6fd4c54794fc713d89d455e555a9b2cb.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html?v=1-0-38

Pelo novo decreto do Governo de Pernambuco, em vigor desde a quarta-feira (03) até o dia 17 de março, as atividades não essenciais, como as igrejas, devem funcionar apenas de segunda a sexta-feira, entre 5h e 20h. Nos finais de semana, não podem funcionar presencialmente.

O projeto é de autoria do deputado Cleiton Collins (PP), que faz parte da bancada evangélica da Casa.

A bancada evangélica da Alepe é composta por 10 deputados: Erick Lessa (PP), Clarissa Tercio (PSC), Joel da Harpa (PP), Cleiton Collins (PP), Romero Sales Filho (PTB), Dulcicleide Amorim (PT), Fabíola Cabral (PP), William Brigido (Republicanos), Marco Aurélio (PRTB) e Adalto Santos (PSB).

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade