Sindicato dos Policiais Civis diz que Gioia “já vai tarde”


O Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE) criticou o secretário de Defesa Social Angelo Gioia em nota enviada à imprensa na noite desta quarta-feira (28), após o anúncio do governador Paulo Câmara (PSB) de que ele está deixando o cargo. O presidente da entidade, Áureo Cisneiros, foi alvo de punições da corregedoria-geral da pasta, cujo gestor, Antônio de Pádua, será o responsável pela pasta a partir da próxima sexta-feira (30).

“Angelo já vai tarde, mas a crise que abateu a segurança pública de Pernambuco não se extinguirá se as mesmas práticas executadas por ele e os últimos secretários à frente da SDS forem mantidas”, diz a nota do sindicato. “Não há segredo: o único caminho para que o Estado retome o controle da situação é investir maciçamente em efetivo policial”, afirma ainda. ” Contudo, até agora o governo de Pernambuco tem se preocupado mais um punir quem denuncia as falhas do que em resolvê-las.”

A bancada de oposição a Paulo Câmara na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aproveitou a saída de Gioia para criticar o governador. Para os deputados, a troca do secretário não resolve o problema da violência no Estado. O socialista alegou “questões pessoais” para a demissão de Gioia.

Leia a íntegra da nota do Sindicato dos Policiais Civis

Na tarde desta quarta-feira (28), durante o enterro de mais um Policial Civil de Pernambuco vítima da violência, o terceiro em menos de um mês, tomamos conhecimento que o então secretário de defesa social, Angelo Gioia, estava oficialmente se afastando do cargo que ocupava. Angelo já vai tarde, mas a crise que abateu a segurança pública de Pernambuco não se extinguirá se as mesmas práticas executadas por ele e os últimos secretários à frente da SDS forem mantidas.

Não há segredo: o único caminho para que o Estado retome o controle da situação é investir maciçamente em efetivo policial – oferecendo condições mínimas de trabalho e equipamentos adequados para que os policiais desempenhem seus papéis. É exatamente o que temos dito nos últimos três anos, pois conhecemos essa estrutura por dentro. Atualmente, inclusive, estamos produzindo o segundo dossiê sobre a realidade da Polícia Civil de Pernambuco, apresentando a precariedade com que funciona a Polícia que investiga os crimes aqui cometidos. Contudo, até agora o governo de Pernambuco tem se preocupado mais um punir quem denuncia as falhas do que em resolvê-las.

Com a mesma postura adotada diante das indicações dos últimos secretários de defesa social do estado, a exemplo do próprio Gioia, o Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (SINPOL-PE) torce para que o também delegado da polícia federal que assume o comando da SDS, Antônio de Pádua, tenha êxito em seu novo desafio. Colocamos-nos mais uma vez como parceiros, ávidos por contribuir para o fim da onda de criminalidade que tem assustado e tirado a vida de milhares de cidadãos pernambucanos, inclusive de policiais.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade