Deputada critica Paulo Câmara por não incluir as Igrejas como serviço essencial


A deputada estadual Clarissa Tércio (PSC) voltou a criticar o governador Paulo Câmara por não ter, mais uma vez, incluído as igrejas e templos religiosos como sendo de prestação de serviço essencial. Com essa
decisão, as igrejas continuam fechadas e proibida de realizar cultos presenciais.

A parlamentar comentou que o governo estadual não é sensível aos religiosos quando impede reuniões dos fiéis. “É inadmissível o que esse governo anticristão vem fazendo com os cristãos em nosso estado. Está rasgando a constituição e nos tirando um direito fundamental”, disparou a deputada.

O presidente Jair Bolsonaro decretou, em março, que as “atividades religiosas de qualquer natureza” são considerados serviços essenciais. Para Clarissa, é possível realizar os cultos respeitando as orientações do Ministério da Saúde. “Muitos serviços funcionam colocando em prática as medidas sanitárias e a igreja também pode funcionar dessa forma”, esclarece.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade