Após reabertura, casos de infectados pelo Covid-19 aumentam em Pernambuco


Após apresentar aumento no número de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) associada à Covid-19, a Região Metropolitana do Recife (RMR) ficará estacionada no Plano de Convivência das Atividades Econômicas com a doença, sem qualquer avanço na próxima semana. O anúncio foi feito na tarde desta quinta-feira (30), em entrevista remota que reuniu os secretários de Saúde, André Longo, e de Desenvolvimento Econômico do Estado, Bruno Schwambach. 

“A RMR teve pequeno crescimento nos casos de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e, por isso, vamos observar com mais atenção a tendência nessa semana. Assim, vai permanecer na Etapa 6”, disse Schwambach.  A pausa no Plano de Convivência se aplica também às zonas da Mata Norte e Sul, que compõem a chamada Macrorregião de Saúde I junto com a RMR.

No último dia 20, os municípios que compõem esse grupo iniciaram a Etapa 6 do Plano de Convivência, com a reabertura dos serviços de alimentação e das academias de ginástica. Nessa última segunda-feira (27), não houve um avanço de fase, mas os shoppings centers passaram a abrir duas horas mais cedo, funcionando desde então das 10h às 20h. 

De acordo com André Longo, na semana epidemiológica 30, que se encerra neste sábado (1º), houve um aumento de 4% nas ocorrências de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) associada à Covid-19. Esse incremento, no entanto, não foi uniforme em todo o Estado. “Houve um incremento um pouquinho maior na primeira macro”, destacou ele, citando que o Agreste apresentou queda, assim como o Sertão Central (Arcoverde, Afogados da Ingazeira e Serra Talhada). Já a região do Sertão do São Francisco (Petrolina, Salgueiro e Araripina) mostrou estabilização. 

Aulas
Longo ainda adiantou que as atividades presenciais relacionadas à Educação ainda não têm um prazo para retornarem no Estado. “A Educação é, sem duvida, o maior desafio que temos pela frente nesse plano de retomada. Há posições divergentes de cientistas, pesquisadores, há muitos estudos em curso nas localidades que voltaram com esse setor. Estamos buscando recolher todas as experiências internacionais e dos locais que estão voltando. Temos debatido exaustivamente formas que nos permita fazer essa retomada com o máximo de segurança possível. Ninguém tem uma fórmula pronta. Todos os países que retornaram estão fazendo observações e é preciso ter muita cautela”, explicou o secretário estadual de Saúde.  

“A sensação da Saúde é que precisa de um tempo maior de observação. Mesmo que se divulgue um calendário, a gente precisa de um tempo a mais. Nesse momento, apontar com clareza para uma data é muito complicado. Não temos perspectiva. Tem um decreto que vence no final deste mês (nesta sexta-feira, 31). Certamente, estaremos com o secretario de Educação (Fred Amacio) para colocar nossa posição sobre a educação nesse momento”, completou. 

Recentemente, a Secretaria de Educação e Esportes do Estado publicou um protocolo setorial para que as entidades de ensino pudessem começar a se organizar para a retomada das atividades presenciais. Entre as normas, está o distanciamento entre as bancas, reduzindo, consequentemente, o número de alunos em sala, além de horários alternativos de entrada, intervalo e saída, para evitar aglomerações. 

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade