Santa Cruz vence o Mogi Mirim por 3×0 e confirma acesso à Série A


image

De Carlinhos Bala a Bruno Moraes, o Santa Cruz encerrou uma década de seus 101 anos com o acesso à Série A, confirmado com uma vitória segura sobre o Mogi Mirim por 3×0 na tarde deste sábado (21), no Novelli Júnior, em Itu. O time fez um primeiro tempo visivelmente ansioso, querendo correr mais que a bola. No segundo, fez o que sabe, usou a velocidade e chegou ao placar que o interessava sem grande dificuldade. Agora é esperar a grande festa no aeroporto neste domingo (22).
Os corais chegaram aos 64 pontos, no terceiro lugar. Na última rodada recebe o Vitória, no Arruda, no próximo sábado (28), em jogo que pode valer o vice-campeonato.
image

Os dois times começaram o jogo com propostas bem parecidas: marcar forte a partir do círculo central e usar os lançamentos longos para chegar mais rápido ao ataque. Só que essa bola longa rendeu muito mais erros do que acertos, deixando o jogo feio. Quando ela estava no chão, muito choque e dividida. Quando viajava pelo alto invariavelmente encontrava um defensor adversário.
image

Um fundamento não poderia ser reclamado: marcação. Renatinho de um lado e Dunguinha do outro recuavam até a linha da defesa para impedir a progressão dos rivais. Com tanto espaço congestionado as finalizações se resumiram a chutes de fora da área. Anderson Rosa mandou perto da trave direita aos 28. Um pouco antes, Daniel Costa aproveitou um rebote, mirou no ângulo e mandou para fora.

O primeiro tempo terminou sem que nenhum dos dois times tivesse finalizado em direção ao gol. O Santa não permitiu que o adversário fizesse isso pela boa marcação. O Mogi foi menos competente mas teve a ajuda do próprio time pernambucano, com seu meio de campo mais parado do que deveria. Quando não ia de ligação direta, tentava sair pelos lados, setores mais bem vigiados.
O que faltou de agressividade aos corais no primeiro tempo sobrou nos primeiros 15 minutos do segundo. Com uma troca de passes mais intensa e principalmente para a frente, o Tricolor encurralou o Mogi em seu campo defensivo. Aos seis minutos, Daniel ganhou um rebote, mas perdeu o tempo da bola e teve que finalizar de sola, fácil para o goleiro.
image

Aos dez, o meia Anderson Rosa foi infantil ao tentar impedir a progressão de Alemão na área segurando o zagueiro. O escanteio foi cobrado e o pênalti marcado imediatamente pelo árbitro Wilton Pereira Sampaio. Depois de três minutos dos tradicionais protestos sem sentido, Daniel Costa foi para a cobrança e mandou forte, no canto direito. Os jogadores não tiraram o pé ampliaram apenas com mais três minutos. Renatinho arriscou de longe e o goleiro deu rebote nos pés de Bruno Moraes. No pé do artilheiro é covardia, né? 2×0.
image

Daí em diante foi fechar a porta e tentar o contra-ataque com Raniel e Bileu nos lugares de Bruno Moraes e Renatinho. E ele veio aos 32. Raniel livrou-se de um marcador e chutou fraco. Mas o goleiro deu outro rebote, agora nos pés de Bileu. O goleiro Daniel ainda tentou defender mas entrou com bola e tudo.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade