Turnê nacional “Maracacongo” estreia temporada de apresentações em Pernambuco


A partir do próximo dia 31 de maio até o dia 12 de junho, Pernambuco será palco da turnê nacional “Maracacongo”, importante e inédito evento de manifestações culturais e religiosas afro-brasileiras realizado no Nordeste. A iniciativa tem como proposta festejar as danças, costumes e práticas dos povos originários, unindo a cultura popular do Maracatu Rural, de origem da região da Zona da Mata Norte do Estado, que é Patrimônio Cultural do Brasil, às tradições do Congo, de Minhas Gerais. A programação irá circular por cinco cidades do Estado: Recife e Olinda (Região Metropolitana); e Aliança, Goiana e Itambé (Mata Norte). Em cada lugar, o público poderá conferir uma agenda de atividades culturais, como espetáculos, mostra de filmes, oficinas e apresentações, gratuitamente. O projeto, aprovado no Edital do Instituto Cultural Vale, e patrocinado através da Lei de Incentivo à Cultura, também irá circular, em julho, por outras cinco cidades de Minhas Gerais: Ouro Preto, Brumadinho, Belo Horizonte, Mariana e Congonhas.

Durante a turnê, o público vai poder vivenciar as histórias e culturas dos povos negros, que por séculos seguiram escondidas, invisibilizadas e perseguidas, através de um espetáculo que terá como protagonistas, o Maracatu Rural Estrela de Ouro (Aliança – PE), e o Grupo Afro mineiro Negro Por Negro (Brumadinho-MG). Também se somam ao projeto musical o artista pernambucanos Afonjah. No Recife foram convidados também Adiel Luna, Quinteto Violado, Charles Theone e o Maracatu de Baque Virado Estrela Brilhante do Recife. Outros 20 convidados irão animar a programação.  A turnê deve durar treze dias, e vai ocupar vários locais, situados em áreas urbanas e rurais de Pernambuco, como escolas, sedes de agremiações carnavalescas, ginásios esportivos, ruas, praças, entre outros. 

A estreia da turnê acontecerá no Teatro Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu, localizado na zona sul do Recife. As atividades no local serão realizadas nos dias 31 de maio e 2 de junho. Entre as ações, estão a oficina de Maracatu Rural e oficina de Congo/Moçambique, para estudantes de escolas públicas da capital pernambucana. Além disso, será realizada a primeira apresentação do espetáculo Maracacongo e Afonjah, juntamente com o Maracatu Estrela Brilhante do Recife, Adiel Luna, Quinteto Violado e Charles Theone. O público interessado em prestigiar a programação, deve retirar os ingressos on-line: https://www.sympla.com.br/maracacongo__1584296 

Entre os dias 03 e 05 de junho, a turnê irá desembarcar em Olinda, cidade Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade. Por lá, a programação de oficinas de Maracatu Rural, Congo e Moçambique será realizada no Quilombo da Xambá, no bairro de São Benedito. No dia 04, o Mercado Eufrásio Barbosa, no Largo do Varadouro, recebe a Reunião da Comissão de Cultura Popular e Folclore; e o seminário Maracacongo – Roda de Conversa sobre as culturas populares de Minas Gerais e Pernambuco. Há, ainda,  o Lançamento do Livro Lampião e o Sertão do Pajeú de Anildomá Willams. À noite do 04, o grupo Negro por Negro faz uma participação especial na comemoração dos 25 anos da Sambada de Coco do Gaudalupe, às 22h. No domingo, dia 05, a partir das 16h o Mercado Eufrásio Barbosa, sedia mais uma atividade. Trata-se do espetáculo Maracacongo (Maracatu Estrela de Ouro de Aliança e Negro Por Negro), que tem como convidados Afonjah e Maracatu Nação Pernambuco. 

Depois de passar pelas cidades irmãs: Olinda e Recife, a turnê aportará na região da Mata Norte, berço da tradição da cultura popular pernambucana.  O projeto vai passar por três cidades da região, durante os dias 07 e 12 de junho. Em Aliança, as oficinas acontecerão no Clube Municipal e na sede da Orquestra 15 de novembro, no Distrito de Upatininga, zona rural da cidade. As apresentações artísticas ficarão concentradas no Clube Municipal, com as apresentações do Maracacongo (Maracatu Estrela de Ouro de Aliança e Negro Por Negro), Afonjah tendo a Orquestra Zezé Correia como convidada. Em Goiana, as oficinas acontecerão na Escola Marie Armelle. A sede do Caboclinho Sete Flexas, no bairro de Nova Goiana, será palco da festa de rua. A unidade do Sesc Ler, na cidade, recebe as apresentações do Maracacongo (Maracatu Estrela de Ouro de Aliança e Negro Por Negro), Afonjah e dos Índio Orubá e o Caboclinho 7 Flexas de Goiana. Em Itambé as oficinas acontecem no Ginásio de Esportes José Mendes Filho. Já os espetáculos na Praça da Biblioteca têm as apresentações do Maracacongo (Maracatu Estrela de Ouro de Aliança e Negro Por Negro), Afonjah e os convidados Maracatus Leãozinho das Flores e Leão da Fronteira e a Orquestra Pedra Preta.

PENSAMENTOS E DEBATES

Para fortalecer o debate e a importância em torno da valorização da cultura afro-brasileira, o projeto Maracacongo sediará a primeira reunião da nova Comissão Pernambucana do Folclore, que passará a se chamar de Comissão Pernambucana das Culturas Populares e Folclore. À frente dos debates estarão a Socióloga Rúbia Lóssio; professor Roberto Pereira; o pesquisador João Monteiro Neto; a professora Dinara Pessoa e o pesquisador Cleber Pereira.

Outro evento proposto será o Seminário Maracacongo – Roda de Conversas sobre a Cultura Popular Mineira e Pernambucana. O encontro terá palestras do Babalorixá Ivo da Xambá; Mestre Luiz Caboclo; Mestra Dina do Negro por Negro; o Diretor da Igualdade Racial de Ouro Preto Kedson Guimarães; e a Secretária de Patrimônio, Cultura e Turismo de Olinda Gabriela Campelo. A coordenação do Seminário ficará a cardo do professor e pesquisador Severino Vicente da UFPE.

Roda de Conversa com os mestres da cultura popular acontecerá também em Itambé.

Lampião presente

O Maracacongo também abre espaço para o rei do cangaço, com o lançamento do Livro: Lampião e o Sertão do Pajeú, do pesquisador Anildomá Willams, da cidade de Serra Talhada – PE. A publicação será lançada em Olinda, Goiana e Itambé, e contará com rodas de debates e sessão de autógrafos. 

Maracatu Estrela de Ouro

O Maracatu Estrela de Ouro foi criado 1966, no Sítio Chã de Camará, zona rural município de Aliança, Zona da Mata Norte pernambucana. Seu mentor, o Mestre Batista e outros moradores do sítio decidiram criar o maracatu para inseri-lo nas brincadeiras do cavalo-marinho, forró de rabeca e rodas de ciranda. Durante as festas e sambadas no terreiro do Estrela de Ouro foram formados vários mestres como Manoel Salustiano, Luiz Paixão, Biu Roque e Zé Duda. Com o falecimento do Mestre Batista, em 1991, seu filho, José Lourenço da Silva, assume a presidência iniciando uma nova fase com o grupo.

Reconhecido Maracatu de Baque Solto do Estado, o Estrela de Ouro tem se apresentado em diversas cidades do Brasil e em 2006, fez apresentações nas cidades francesas de Murat e Paris, exibindo e transmitindo sua forma de expressão. Em dezembro de 2011, o Maracatu Estrela de Ouro foi reconhecido como Patrimônio Vivo de Pernambuco.

Negro por Negro

O Negro por Negro é um grupo afro que congrega artistas de quatro quilombos da região de Brumadinho (MG). Alguns componentes tem função importante nas guardas de Congo e Moçambique da região. A atração já realizou apresentações em diversas cidades mineiras, mas esta será a primeira vez que saem de Minas. Muitos deles nunca viajaram. Com percussão marcante o grupo usa caixas, alfaias, atabaques, timbales, djembê, violão, cavaquinho e gungas, cantam canções próprias e outras retiradas das tradições da Republica Democrática do Congo e do Moçambique, ambos os países da África do Sul.

Afonjah

O cantor e compositor, Valdi Afonjah é um importante artista da cena musical autoral pernambucana. Ele é um artista que cria um som original, com letras fortes que procuram alertar sobre várias questões sociais e espirituais. Sua trajetória dentro do 

contexto musical teve início no final da década de 1970, com o Grupo Raízes. Em 1988, gravou o LP “Negra Magia”. Já no ano seguinte, foi para França e depois Suíça onde residiu por mais de 10 anos. Sua experiência musical já levou para turnês pelo continente africano e europeu. Foi nessa viagem, inclusive, que ele conheceu Aston “Familyman” Barret (baixista da banda de Bob Marley, The Wailers), o que resultou em uma temporada na Jamaica. 

Logo depois, de volta ao Brasil e morando no Rio de Janeiro, Afonjah gravou os álbuns “Afonjah”, com produção de Carlos Trilha (Renato Russo, Marisa Monte) e o álbum “Cambinada Dub”. A convite do produtor cultural, Afonso Oliveira, Afonjah voltou a Pernambuco, e em 2017, participou do projeto “Maracatu Atômico Kaosnavial”, junto com Jorge Mautner e o Maracatu Estrela de Ouro de Aliança.

Em 2019, Afonjah inicia uma residência artística com Afonso Oliveira no estúdio de Buguinha Dub, compondo diversas canções gravadas com nomes importantes da música pernambucana, como Flaira Ferro, Coco Raízes de Arcoverde, Maracatu Estrela Brilhante e Isaar.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade