Getúlio Cavalcanti dá adeus ao Carnaval de ruas

Este ano, o compositor Getúlio Cavalcanti entra para sua 57º edição carnavalesca



Com 77 anos, o cantor e compositor Getúlio Cavalcanti anunciou na manhã desta segunda-feira (4) que esse será seu último desfile no Carnaval pernambucano após 44 anos de dedicação aos blocos líricos do estado. A decisão, além de carregar um tom de despedida, se baseia, também, em projetos pessoais do cantor.
“Chegou a hora de parar. Já faz tanto tempo. Pretendo me dedicar mais a orquestra que conduzo e a alguns outros projetos profissionais”, explicou o artista.
Dono de uma irreverência diferenciada, Getúlio Cavalcanti esteve à frente da criação de vários blocos líricos de Pernambuco. De todos o exemplo de maior destaque é o Bloco da Saudade. O artista acumula 33 anos de reinvenção juntamente a esse bloco, que é um dos mais tradicionais do Estado. Este ano, o compositor entra para sua 57º edição carnavalesca. Com 77 anos, o cantor e compositor Getúlio Cavalcantianunciou na manhã desta segunda-feira (4) na Rádio Folha 96.7 FM que esse será seu último desfile no Carnaval pernambucano após 44 anos de dedicação aos blocos líricos do estado. A decisão, além de carregar um tom de despedida, se baseia, também, em projetos pessoais do cantor.
“Chegou a hora de parar. Já faz tanto tempo. Pretendo me dedicar mais a orquestra que conduzo e a alguns outros projetos profissionais”, explicou o artista.
Dono de uma irreverência diferenciada, Getúlio Cavalcanti esteve à frente da criação de vários blocos líricos de Pernambuco. De todos o exemplo de maior destaque é o Bloco da Saudade. O artista acumula 33 anos de reinvenção juntamente a esse bloco, que é um dos mais tradicionais do Estado. Este ano, o compositor entra para sua 57º edição carnavalesca.
Desde a adolescência, Getúlio costumava compor e cantar. Mas foi em 1962 que o artista iniciou sua trajetória, ano em que lançou o frevo-canção ‘Você gostou de mim’. Além das várias composições e performances, o artista também chegou a lançar um livro chamado “Por quem os blocos cantam”, uma autobiografia escrita por durante vinte anos, e que foi lançada recentemente.

Com maestria, Getúlio Cavalcanti é responsável por uma das músicas mais tradicionais do Carnaval pernambucano. A intitulada Último Regresso, representa em letra, som e harmonia a paixão que o recifense carrega pelo carnaval local. Entre crianças e idosos, a canção é cantada com clamor por aqueles que compartilham do sentimento do compositor de ressaltar a cultura pernambucana. Depois de longas datas de Carnaval, Getúlio Cavalcanti parte ao “último regresso”, mas certamente com a sabedoria de que o “bloco campeão” às ruas sempre volta, e quando parte, pronto para desfilar no ano seguinte de carnaval, deixa saudade.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade