Mãe do professor Rinaldo Lima um mês depois do crime: “A falta dele é muito grande. Não sei como suportei a dor”


Nesta sexta-feira (5) faz um mês da morte do professor de geografia Rinaldo de Lima, de 39 anos, que morreu em consequência de golpes de faca peixeira, crime praticado no dia 5 de janeiro do mês passado, às margens da Rodovia BR-408, no município de Tracunhaém.

Uma família de três irmãos, Rinaldo, Risoaldo e Renata, hoje a mãe dona Rosa de Lima Araújo, de 73 anos, aposentada como enfermeira, sofre com a dor da saudade do filho mais velho, que tornou-se o chefe da casa, após a morte do pai, há 2 anos, vítima de problema cardíaco.

Em conversa com o repórter Josildo Santos, a mãe e a irmã de Rinaldo Lima relataram a saudade do professor.

“A falta dele é muito grande. Ele cuidava muito bem de mim. Sempre perguntava o que estava faltando e como estava minha saúde. Não sei como suportei a dor”, disse a mãe.

Dona Rosa diz acreditar na justiça: “ Confio em Deus e na justiça”.

A irmã mais nova do professor, Maria Renata de Lima Araújo, de 30 anos de idade, que escolheu também ser professora, diz ter seguido os conselhos do irmão e também enveredou pela arte de ensinar.

“Um irmão maravilhoso. Ele me ajudou a escolher a profissão de professor, tanto que fiz vestibular para geografia, como ele, mas acabei fazendo letras. Mas assim como ele busquei ser professora”, disse Renata.

A vida de Renata mudou bastante após o crime contra o irmão. Moradora de Tracunhaém, teve que retornar para a casa da mãe, em Nazaré da Mata, para acompanhar mais de perto a família, que é composta pela mãe e o irmão Risoaldo.

Renata diz guardar na mente, a última vez que viu o irmão com vida, quando estava sendo encaminhado do Hospital Ermírio Coutinho, em Nazaré da Mata, para o Hospital da Restauração (HR), na área central de Recife, onde ele morreu na manhã do dia posterior.

“Ele estava deitado na maca, deu tchau e foi embora. Última vez que vimos ele”, disse

Renata assumiu o compromisso de acompanhar toda situação da investigação que pode levar a elucidação do crime.

“É ser muito frio. Ser muito insensível para fazer isso com uma pessoa. Não tem explicação para esse crime”, disse Renata, quanto a requinte de crueldade aplicada no crime contra o irmão.

As investigações quanto ao homicídio acontecem sob a responsabilidade do delegado Drº João Gaspar, titular da DP de Tracunhaém.

Relembre o caso

Morreu no Hospital da Restauração (HR), em Recife, o professor que sofreu uma tentativa de latrocínio às margens da BR 408, em Tracunhaém.

A morte de Rinaldo de Lima Araújo, de 39 anos de idade, foi confirmada na manhã desta quarta-feira (6) pelo Hospital da Restauração (HR), em Recife.

O professor havia sofrido diversos golpes de arma branca, que atingiram pescoço, abdômen e costas.

À polícia, no Hospital Regional Ermírio Coutinho (HEC), em Nazaré da Mata,a vítima , ainda consciente, informou que o fato ocorreu após dar um carona a um homem, que estava em Carpina, e quando chegou em Tracunhaém, o acusado tentou assaltá-lo.

Rinaldo de Lima morava no município de Nazaré da Mata e ensinava na Escola de Referência do Ensino Médio Dr Walfredo Luiz Pessoa de Melo, em Tracunhaém.

A polícia investiga o crime na busca de identificar a motivação e autoria.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade