ASPROF-MN denuncia perseguição por parte de assessores da prefeitura de Nazaré da Mata a professores


A Associação dos Professores da Rede Pública da Mata Norte de Pernambuco (ASPROF-MN) está solicitando informações e providências ao prefeito do município de Nazaré da Mata, Nino Nascimento,quanto a prática de perseguição de assessores ligados a gestão municipal contra professores.

De acordo com a ASPROF-MN, há notícias de que vários professores efetivos estão passando por um massacre na rede pública municipal, tão somente, por questões políticas.

“Chega ao nosso conhecimento que existe um auto intitulado “Grupo do mal” assessorando o prefeito, com o nítido propósito de perseguir adversários políticos fazendo uma espécie de inquisição administrativa”, disse o advogado e diretor jurídico Marcelo Gervásio.

Ainda de acordo com a nota da ASPROF-MN, o cargo de professor é um dos únicos nos quais a legislação permite a acumulação com outro cargo público de professor.Ocorre que, uma quantidade significativa dos professores possue vínculo em outros municípios vizinhos.

A maior parte deles possuem, sem ônus para o município, permuta com professores de outras cidades, que por sua vez, também são professores efetivos do município de Nazaré da Mata.

As permutas, que possuem amparo na lei, permitem que os professores possam atuar mais próximas de suas residências gerando com isso um maior conforto e rendimento dos referidos profissionais.

A nota ainda reforça que alguns professores já estão nessa condição há algumas décadas e sem critério algum foram informados de que o prefeito do município não mais assinaria o termo de cooperação.

“Um outro caso que nos chamou bastante atenção foi o da professora que declarou apoio a um dos grupos de oposição no último pleito, mesmo já possuindo direito adquirido à incorporação das 200 (duzentas) horas/aula em seu contracheque, entretanto, foi surpreendida com a redução arbitrária e imoral de sua carga horária”, disse Marcelo Gervásio.

A ASPROF- MN orienta aos professores e professoras que se sentirem prejudicadas podem procurar a Associação e caso não seja resolvida nos próximos dias, provavelmente, a Associação irá acionar o Ministério Público Estadual para que seja verificada a possibilidade de está ocorrendo improbidade administrativa.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade