Passando por dificuldades, Rede Feminina de Combate ao Câncer pode fechar as portas em Carpina


Operando no vermelho a Rede Feminina de Combate ao Câncer corre sério risco de fechar suas portas. Sem recursos para desenvolver suas ações a entidade, filantrópica, se mantem apenas com os recursos obtidos em um bazar, que é realizado a cada três meses. As vendas são realizadas após doações que são realizadas a entidade, onde as voluntárias fazem a seleção das melhores peças, que serão levadas ao público. O preço das peças variam de R$ 1,00 a R$ 5,00.

A única ajuda, recebida pela instituição, é o pagamento do aluguel do prédio onde funciona a Rede, na Avenida da Bandeira, no bairro de São Sebastião. O pagamento é feito pela Prefeitura de Carpina, devido a entidade ter sido declarada de utilidade pública.

A entidade filantrópica, sem fins econômicos, é ligada ao Hospital do Câncer de Pernambuco (HCP), atendendo pessoas em situação de vulnerabilidade social acometidas pelo câncer, usuárias do SUS, que realizam tratamento oncológico via tratamento fora do domicílio, sem condições para custear suas necessidades básicas.

A Rede funciona de segunda a sexta- feira, das 8h às 12h, e das 14h às 17h; aos sábados no horário das 8h às 12h. No local, é prestada assistência com doação de cesta básica, aquisições de medicamentos ou auxílio transporte. Além de orientação e encaminhamento dos pacientes para tratamento nos hospitais de Recife,

O grupo recebe doações de roupas, calçados e acessórios, além de alimentos e ajuda financeira através do Sócio Contribuinte com um carnê, que posteriormente pode ser deduzido do Imposto de Renda. A instituição também está convidando voluntários para auxiliarem as atividades. Os interessados podem procurar a sede. Outras informações (81) 99433177.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade