Nazaré da Mata: Compesa conclui intervenção em Morojozinho e divulga esquema de abastecimento


Desde o anúncio da Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac) sobre o período de baixas precipitações também para a Mata Norte do Estado, o Governo de Pernambuco está empenhado na questão do abastecimento de água para a população. A Compesa planejou uma série de investimentos para ampliar a oferta de água na região e vem intensificado o monitoramento do volume dos mananciais. Como anunciado na semana passada pela presidente da Companhia, Manuela Marinho, em agenda com as prefeituras da região, foram realizadas intervenções para a melhoria da captação de água da Barragem Morojozinho, localizada no município de Buenos Aires, dando mais confiabilidade para o cumprimento do novo regime de distribuição de água da cidade de 3 dias com água para 10 dias sem.

Os serviços executados pela Compesa, em parceria com a prefeitura municipal, foram para remoção de um maciço de terra que impedia que a água disponível no manancial chegasse ao ponto de captação, conforme explica o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, Mozart Alencar. “Como o nível da barragem baixou consideravelmente, percebemos que existia uma irregularidade no relevo que impedia que a água da bacia de acumulação chegasse ao ponto de captação de água. A partir daí, planejamos essa intervenção para que a água disponível voltasse a atender Nazaré da Mata. Foram horas intensas de trabalho, mas a equipe de campo conseguiu remover o maciço de terra e a água chegou da forma esperada ao ponto”, explicou Mozart.

Além desta intervenção, a Compesa deu início ao processo de reativação do Sistema de Abastecimento Usina Barra, outro projeto que vai contribuir para o aumento da oferta de água. A expectativa é que o sistema volte a operar em março, quando a Estação Elevatória de Água Bruta do Riacho Teitanduba, um afluente do Rio Siriji, ofertará 20 litros de água por segundo, ou seja, 25% da produção necessária para atender os moradores. Para reativação da unidade, novos equipamentos estão sendo adquiridos e um levantamento da estrutura da adutora também está sendo feito pelos técnicos da Companhia.

De acordo com a presidente da Compesa, Manuela Marinho, as ações propostas para o município vão ajudar a população a atravessar o período de escassez de chuvas com mais segurança hídrica. “Com esses investimentos para melhorar a oferta de água no município teremos condições de atender melhor os moradores até a próxima quadra chuvosa, prevista para iniciar em abril. Vale frisar que Morojozinho opera com apenas 11% da sua capacidade total de acumulação, no entanto, a Compesa desenvolveu soluções responsáveis para aplacar os impactos do período de escassez para a população preservando o manancial”, ponderou.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade