Chuvas intensas aliadas ao mau uso da rede de esgoto causam transtorno a população


A Compesa, e sua parceira no programa Cidade Saneada, a BRK Ambiental, trabalham de forma preventiva para manter em plena operação os sistemas de esgotamento sanitário espalhados por toda a Região Metropolitana do Recife e município de Goiana. Mesmo assim, algumas ações precisam ser realizadas nas tubulações após dias de chuvas intensas, devido à incidência de ligações irregulares e do uso indevido da rede de esgoto.

Os principais desafios em dias de alto índice pluviométrico são as áreas alagadas sem acesso para a realização de manutenções nas unidades do sistema de esgotamento sanitário, seja por caminhões ou equipes de diagnóstico. Outro ponto crítico são as ligações diretamente na tubulação de esgoto, o que pode fazer com que a água da chuva se misture à rede, acarretando a ida de material sólido, como areia e lixo, para o sistema, ocasionando obstruções e prejuízos nos componentes das estações de esgoto. “Quando a população direciona qualquer ligação da água da chuva para o sistema de esgoto, acontece uma sobrecarga na rede em momentos de chuva, podendo ocasionar o retorno de efluente para dentro do imóvel e extravasamentos nas vias”, comenta o diretor de Negócios e Eficiência da Compesa, Flávio Coutinho.

Uma das medidas adotadas para mitigar os transtornos decorrentes das chuvas é a realização de limpezas suplementares de redes, elevatórias e estações de tratamento. Essa ação realiza a retirada de toda a areia e lixo trazidos pelas águas das chuvas quando direcionadas para as redes coletoras de esgotos. Isso ajuda a evitar os riscos de extravasamentos, rompimento de tubulações e transbordamento das unidades elevatórias e de tratamento. Apenas em 2020, foram retiradas cerca de 2 mil toneladas de lixo das tubulações de esgoto da RMR.

Outra medida adotada é o aumento da limpeza nas caixas de areia das unidades de tratamento, para que a grande quantidade de areia e lixos sólidos trazidos pelas chuvas não comprometam o tratamento e nem diminuam o tempo de detenção do efluente na unidade. Também são feitas vistorias no sistema visando à adequação das tampas e estrutura dos poços de visita e da rede coletora para evitar infiltrações de água da chuva, além de vistorias posteriores às chuvas nas áreas alagadas com o objetivo de identificar a necessidade de manutenções. 

A área de Responsabilidade Socioambiental também atua com diversas atividades e ações de sensibilização nas comunidades da RMR, com o intuito de mostrar o correto uso da rede de esgoto. Apenas no primeiro trimestre de 2021, já foram realizadas cerca de 4 mil atividades com esse foco. “Por isso é importante que a população também faça sua parte para o bom funcionamento do sistema de esgotamento sanitário. Não jogar lixo na rede, não realizar ligação irregular da rede de drenagem com a rede de esgoto e não abrir as tampas dos poços de visita para o escoamento da água da chuva são ações que ajudam a manter a boa operação da rede”, explica o gerente de Operações da BRK Ambiental, Adriano Barbosa.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade