Mulher acusa prefeito de Limoeiro de agressão


Vídeos de uma mulher que trabalhava como fiscal de estacionamento na Exposição Regional de Animais de Limoeiro “viralizaram” nas redes sociais. Ela acusa o prefeito de Limoeiro, João Luís (PSB), de agressão física. Segundo a fiscal, ela teria cobrado a taxa do estacionamento e o gestor municipal teria se negado a pagar, ocorrendo a agressão na sequência. O fato teria ocorrido na tarde desse domingo (1º), na frente do Parque Dr. Emídio Cavalcanti, as margens da PE-50.

Eduarda Felício da Cruz Lima, 19 anos, registrou a denúncia na delegacia de Limoeiro. Segundo informações do relatório da Polícia Militar (PM), o efetivo de serviço na exposição teria sido acionado para verificar uma ocorrência de agressão física e ao chegar ao local teria encontrado a vítima e uma testemunha. A jovem informou que teria sido agredida pelo prefeito de Limoeiro, João Luís Ferreira Filho, conhecido como “Joãozinho”, após ter cobrado o valor do estacionamento.

Ainda no documento na PM consta relato da vítima afirmando que o prefeito teria batido nas costas dela com um soco, ficando “roxo”, segundo laudo médico. No documento da polícia também consta a informação de que o prefeito deixou o local e não foi encontrado pelos policiais. Diante dos fatos, a mulher foi conduzida à delegacia, gerando registro de Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), o qual será encaminhado ao Poder Judiciário. O prefeito de Limoeiro se pronunciou sobre o fato através de nota enviada à imprensa. (Confira abaixo a nota na íntegra)

“O Prefeito do Município de Limoeiro-PE vê com preocupação a criação de situações absolutamente inexistentes, com o claro intuito de criar farsas, factóides e inverdades. Enfaticamente afirmamos ser inexistente a suposta agressão aventada na ambiência do Parque de Exposições de Limoeiro-PE.Na oportunidade em que visitou o Parque de Exposições, na tarde deste domingo, o Prefeito estava com extensa comitiva, acompanhado de várias autoridades, dentre elas, três secretários municipais, três secretários executivos, dois assessores e um ex-prefeito, que não vislumbraram qualquer agressão.A narrativa da suposta agressão se sustenta apenas na alegação pessoal de uma pretensa vítima, sem fundamento em qualquer meio de prova, utilizando-se das redes sociais para propagação de vídeos ofensivos ao Prefeito, de modo a criar alarde. Caso o assunto seja levado adiante pela interessada, o Prefeito não medirá esforços no sentido de adoção de medidas de responsabilização perante o Poder Judiciário”.

Blog do Agreste

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade