‘Morreu nos meus braços’, desabafa a mãe do menino morto em Macaparana


A despedida do pequeno Ribery Mendes Ribeiro, de quatro anos, assassinado a facadas em Macaparana, Mata Norte do Estado, nessa sexta-feira (4), está marcada para a tarde deste sábado (5). O corpo será velado na 1ª Igreja Batista do município e o sepultamento deve acontecer às 16h. Durante a manhã, a família esteve no Instituto de Medicina Legal (IML), no Recife, para liberar o corpo da criança.

A mãe de Ribery, Gláucia Gonçalves Mendes, de 27 anos, contou como tudo aconteceu. “Ele estava brincando na casa de um coleguinha. O homem já tinha furado (sic) uma menina na rua com a faca e subiu a ladeira. Foi aí que viu o meu filho e o outro menino dentro do terraço brincando. Ele o acertou pela grade”. O outro filho de Gláucia, de 12 anos, quase foi atingido pelo suspeito, identificado como Luiz Francisco da Silva, 31.

Os familiares e amigos contam que a criança era muito comunicativa e querida pelos vizinhos e professores da escola onde estudava. Na sexta-feira, antes do ocorrido, Ribery estava na aula de reforço. “Ele chegou e falou ‘mamãe, já fiz toda a minha tarefinha’. Poucos minutos depois, aconteceu. Ainda que eu tivesse corrido, não dava tempo. Eu peguei ele nos braços todo ensanguentado, sem saber o que tinha acontecido. Achei que tinha se machucado brincando. Não sabia da gravidade. Meu filho morreu nos meus braços, ressonando nos meus braços”, lembra emocionada.
A família mora há mais de seis anos no local e conhecia o suspeito.

“Ele era calado, vivia dentro de casa, nunca tinha mostrado esse tipo de comportamento. Ele foi mesmo para matar o meu filho. Estou desolada. Quero justiça.” A mãe afirmou ainda que não tinha nenhum desentendimento com homem.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade

  • Black Friday