Condado: Polícia desarticula “bonde do cangaceiro”


Uma quadrilha conhecida por agir de forma violenta no município de Condado, na Zona da Mata Norte pernambucana, foi desarticulada durante a Operação Contenção. O grupo conhecido como “bonde do cangaceiro” agia a partir de ordens de detentos e fazia parte de uma organização criminosa maior, que atua no estado da Paraíba. Segundo as investigações, a mãe de um dos líderes da organização criminosa é uma das integrantes e recebia as ordens do filho no presídio. A Polícia conseguiu prender 16 pessoas e outras três estão foragidas.

As investigações começaram em janeiro deste ano e a Operação foi deflagrada no dia 13 de setembro. De acordo com a Polícia Civil, o grupo está envolvido com tráfico de drogas, homicídios tentados e consumados, além de porte ilegal de arma de fogo. O emblema do grupo tinha uma bandeira dos EUA, fazendo alusão à quadrilha da Paraíba que tenta se instalar em Pernambuco pelas cidades que fazem divisa entre os dois estados.

De acordo com a Polícia Civil, o grupo era articulado e dividia as tarefas de fornecer as drogas e gerenciar o dinheiro entre os envolvidos. “Esse pessoal recebia influência de uma organização criminosa paraibana e entrou em Condado já com um organograma bem definido, com líderes, gerência, operários, tudo bem definido e organizado”, destaca o titular da delegacia de Condado, Felipe Pinheiro.
Maria da Penha da Silva foi presa no dia da deflagração da operação e era responsável por movimentar o dinheiro do tráfico, mantendo contato direto com um dos filhos presos, Nilson Hayan. Durante o decorrer das investigações, Hayan saiu de um presídio na Paraíba e continua foragido.
Eles eram conhecidos como “cangaço”, por conta da violência que utilizavam durante os crimes que cometiam. “Os homicídios ocorriam em locais públicos, a qualquer hora do dia para exterminar membros de organizações criminosas rivais e devedores do tráfico. Três homicídios foram evitados e outros três foram esclarecidos durante as investigações”, comentou Felipe Pinheiro.
Três líderes da quadrilha já estavam presos desde o início da Operação: Paulo Ricardo Silva dos Santos, Nilson Hayan Silva de Queiroz e Willams Silva de Queiroz. Quatro suspeitos foram presos em flagrante por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo: Natanael da Silva Mendonça; Davi Henrique de Pontes; Tauan Martins da Silva Araújo; Irlon Wendio Tavares Ferreira. Outros três foram detidos por mandado de prisão de tráfico e homicídios: Emerson Silva dos Santos; Gleibson Alves da Silva; João Alves da Silva. 
Ainda durante a investigação, foram presas seis pessoas em flagrante por tráfico e porte ilegal de arma de fogo: Moisés José da Silva; Ana Cláudia Costa da Silva; Joanderson da Silva Rodrigues; Gabriel de Mendonça Floriano; Maria da Penha da Silva; José Roberto de Mendonça. Um adolescente também foi apreendido com mandado deinternação provisória.
“Eles atuavam de forma sistemática e violenta eram contumazes nos homicídios, principalmente com quem tentava competir com eles no tráfico de drogas. Acreditamos que os resultados dessa operação trarão tranquilidade na área das cidades de Itambé, Condado, Itaquitinga”, comentou o Major Roque – 3° Companhia Independente da Polícia Militar.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade