Vicência sedia 2ª feira regional de artesanato e negócios neste fim de semana

Evento acontece a partir deste sábado (1º), e reúne artesanato de dezesseis municípios pernambucanos.


Começa neste sábado (8) e vai até a próxima terça-feira (11), a segunda edição da Feira de Negócios do Artesanato da Zona da Mata – (Fenamata), que acontece em Vicência, na Zona da Mata Norte. O evento tem como objetivo promover a comercialização de produtos artesanais confeccionados na região do interior pernambucano. Duzentos e cinqüenta pessoas, ligadas à produção do artesanato manual, participam da programação. Além disso, a feira reúne área gastronômica, apresentações culturais e passeios turísticos. Destaque nesta edição é o atendimento às pessoas com deficiência. Todas as atividades são abertas e gratuitas.

Durante a feira, que acontece no Sítio Histórico, no centro da cidade, o público vai poder prestigiar e adquirir artesanatos produzidos nos municípios de Aliança, Buenos Aires, Itaquitinga e Lagoa de Itaenga. Na ocasião, também é possível encontrar artesanato das cidades de Lagoa do Carro, Macaparana, Nazaré da Mata, Paudalho, Carpina, Chã de Alegria, Condado, Glória do Goitá, Goiana, Timbaúba e Tracunhaém. A Fenamata também vai receber artesãos das cidades de Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e Olinda; Salgadinho, no Agreste pernambucano.

Entre os produtos, todos feitos manualmente e com técnicas de produção distintas, a feira traz sugestões de utensílios para casa e presentes, como tapetes, gola de maracatu, bonecos de barro, bijuterias, bordados, redes, cerâmicas, mosaicos, pinturas, velas, sabonetes, sachês, caixas, reciclagem, patchwork, metais, brinquedos, arranjos e apliques. Os preços dos artesanatos variam de R$ 2 a R$ 3.000,00.

A abertura da feira acontece neste sábado, das 17h às 21h. Já no domingo até a terça-feira, as visitações aos stands ocorrem das 10h às 21h.

A gastronomia regional também será um importante atrativo da programação. Produtos colhidos pelos agricultores e avicultores prometem encantar o paladar do público, na hora do café da manhã, almoço ou jantar. Outra opção é são os irresistíveis doces e sobremesas – carro-chefe na região. As bebidas artesanais, oriundas da cana-de-açúcar e produzidas nos engenhos, vão estar à mostra no espaço gastronômico.

Segundo Maria José, produtora cultural e coordenadora do evento, neste ano, a Fenamata deve apresentar um impacto positivo na economia da cidade. “Estamos esperando mais de cinco mil visitantes, durante os dias da feira. Isso nos deixa bastante animada, porque sabemos que essas pessoas, de alguma forma, além de prestigiar nossa cultura, também acabam adquirindo nossos produtos. O que vai impactar bastante na renda das famílias, que aguardam por uma iniciativa dessa dimensão durante todo o ano” afirmou entusiasmada.

O projeto é promovido pelo edital do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura PE), com parceira da Prefeitura de Vicência e do Sebrae.

A primeira edição da feira teve início em 2015. À época, Feira de Negócios do Artesanato de Vicência (Fenarvi), mas, nos últimos três anos, passou por uma reformulação na proposta, cuja idéia era ampliar a participação de mais municípios pernambucanos dentro da programação. Hoje, a Feira de Negócios do Artesanato da Zona da Mata (Fenamata), conta com a participação dos municípios das regiões da Mata Norte, Mata Sul, Agreste e Região Metropolitana do Recife.

Acessibilidade – A organização da feira vai disponibilizar, durante os quatro dias do evento, um grupo de profissionais ligados a Língua Brasileira de Sinais (Libras), para o atendimento dos moradores e visitantes que apresentam deficiência auditiva.

Olha! Vicência – Turistas e moradores da região, nos dias da feira, também vão ter a opção de fazer um passeio pelos principais pontos turísticos do município. Um ônibus será disponibilizado, gratuitamente, para levar as pessoas até os locais a serem visitados. A atividade terá à frente uma guia turística, para auxiliar o público durante o passeio, que acontece durante o turno da manhã. Na rota, estão programadas visita a uma das capelas mais antiga na região, dedicada a São Joaquim, que se encontra instalada na Usina de Moagem de Cana de Açúcar, Laranjeiras. Outra opção é o Museu Comunitário Poço Cumprido, que resguarda uma memória dos antepassados da região. Ainda dentro da rota de visitações, está à Cachaçaria de Água Doce, que é produzida no engenho de cana-de-açúcar, que dá o mesmo nome a bebida artesanal. Para quem buscar aventura nas alturas, a proposta é conhecer o Engenho Judiá. O local, conhecido por sediar as competições de voo livre, conta com uma vista encantadora sobre a cidade de Vicência.

Atividades infantis – Durante os quatro dias de programação, o público infantil vai poder se divertir bastante. O Palhaço Pinóquio, de São Lourenço da Mata, promete animar às crianças com muitas brincadeiras e gargalhadas. Além disso, dentro da programação para os baixinhos, acontece apresentação do musical infantil “Pra rodar Pra dormir” – interpretado pelo cantor e compositor Pochyua Andrade. Ele traz ao palco, uma mostra coletânea de danças e canções populares que marcam a infância de muitas gerações.

Lançamento – O produtor cultural Anildomá Willams de Souza, natural de Serra Talhada, lança,na segunda-feira, 10 de Setembro, o livro “Lampião e o Sertão do Pajéu”. A publicação reconta toda história de Virgulino Ferreira da Silva, conhecido como Lampião. No livro, autor buscar dar destaque aos depoimentos de ex-cangaceiros e moradores da região do sertão pernambucano, que testemunharam algum fato ou passagem de Lampião e seus cangaceiros, durante os anos de 1920 a 1928. A cerimônia de lançamento acontece a partir das 19h, no coreto, localizado no Centro de Vicência.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade

  • Black Friday