Timbaúba: Policial militar é investigado sob suspeita de extorsão


Um policial militar de Timbaúba,  Mata Norte de Pernambuco, está sendo investigado pelo Ministério Público por supostamente extorquir motoristas da cidade. De acordo com denúncias de moradores, o PM  estaria cobrando propina  em fiscalizações de trânsito dentro do município.

Segundo os relatos colhidos pela OAB de Timbaúba, as extorsões tiveram inicio há cerca de seis meses.  As vítimas denunciaram que o PM costuma cobrar cerca de R$ 50 para liberar os veículos irregulares no momento da abordagem.

A denúncia, formalizada através de documento emitido pelo presidente da OAB de Timbaúba, Antonio de Moura Apolinário, argumenta que é notória a massificação de blitz no trânsito da cidade e de multas abusivas que teriam o intuito de extorquir a população, principalmente os menos favorecidos e os mototaxistas que trafegam no município.

Segundo o presidente da OAB, as queixas chegaram até ele na tarde deste domingo (9). “Depois que as denúncias chegaram até mim, como presidente da OAB, eu não poderia me furtar. São vários indícios e muitas  pessoas denunciando. Não há um dia sequer em Timbaúba que não tenha blitz. A população já sofre com o desemprego, fábricas fecharam, algumas lojas do comércio também”. Ele ainda ressaltou que não vê problemas com a blitz, mas sim com a forma que elas estão sendo conduzidas. “Eu não estou dizendo que sou contra as blitzes, o trabalho deve sim ser feito, mas que seja feito de acordo com a lei”, explicou.

O presidente da OAB Timbaúba ainda soltou uma nota no WhatssApp, na tarde de domingo(9), para população que fala sobre a responsabilidade do órgão. “Não temos compromisso com nenhum detentor de poder, nosso compromisso é com o povo, nossas cores são as cores da Bandeira Brasileira e nossa obediência é com a Constituição”, escreveu o presidente.

O Promotor de Justiça Criminal da Comarca de Timbaúba, João Elias da Silva Filho contou que recebeu a denúncia formalizada na manhã desta segunda-feira (10). “Um procedimento já foi instaurado e possíveis vítimas já foram ouvidas. Escutamos três pessoas, mas depois que a denúncia foi a público um número bem maior procurou o Ministério Público e agora nosso trabalho é ouvir todas as pessoas que afirmam terem sido extorquidas pelo PM e investigar se procedem de fato”, contou o promotor.

Ainda segundo João Elias, o inquérito foi aberto como o título ‘Notícia de Fato’. Segundo ele, se houver fundamentos nas denuncias, o procedimento será convertido para investigação criminal.

O promotor faz questão de ressaltar que todas as denúncias enviadas ao Ministério Público já estão sendo apuradas com rigor para que nem a população seja prejudicada, caso as denúncias de fato procederem, e se caso não foram comprovadas, o PM também não seja prejudicado.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade