SES reúne gestores para tirar dúvidas sobre vacinação


A Secretaria Estadual de Saúde (SES) e a Secretaria de Saúde do Recife confirmam dois casos de sarampo no Estado. Trata-se de um homem de 27 anos com histórico de viagem no início de julho para Manaus, área onde está circulando o vírus. Em Manaus, ele teve contato com um caso suspeito. A segunda ocorrência é de uma menina de 2 anos, sobrinha do homem e que mora com ele no Recife. Os dois não comprovaram vacinação para tríplice viral. Após resultado laboratorial preliminar do Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE), não conclusivo, mas sugestivo para doença, as amostras de sangue dos pacientes foram encaminhadas para a Fundação Oswaldo Cruz do Rio de Janeiro (Fiocruz-RJ), laboratório de referência nacional que confirmou a doença.

De acordo com a Fiocruz-RJ, a menina de 2 anos teve resultado positivo por meio das técnicas de PCR e sorologia, enquanto o homem teve sorologia positiva. Os outros três casos relacionados a esses pacientes (dois familiares e uma funcionária) continuam em análise. É importante ressaltar que, logo após a notificação dos casos, as medidas de vigilância e controle foram executadas pelas secretarias de Saúde do Recife (de origem dos pacientes) e de Jaboatão dos Guararapes (onde o homem trabalha), com o apoio da Secretaria Estadual de Saúde. Entre as ações, bloqueio vacinal de contatos com os casos confirmados, como é preconizado pelo Ministério da Saúde (MS). Todos os órgãos continuam vigilantes para a situação.

“A Vigilância em Saúde do Estado está atenta para analisar os casos notificados e desencadear as ações para evitar a propagação de casos. Precisamos reforçar com os serviços de saúde e os municípios pernambucanos a necessidade de estar vigilante e para comunicar de imediato qualquer suspeita. Uma resposta rápida é essencial para quebrar a cadeia de transmissão e, consequentemente, o surgimento de um surto da doença”, afirma o diretor geral de Controle de Doenças Transmissíveis da SES, George Dimech.

A Secretaria Estadual de Saúde ressalta que a confirmação desses casos no Estado só reforça a importância da população manter a caderneta de vacinação corretamente atualizada. Atualmente, está ocorrendo uma campanha nacional de vacinação contra a poliomielite e o sarampo, que segue até 31 de agosto e que terá o Dia D neste sábado (18.08). O secretário estadual de Saúde, Iran Costa, participará da abertura do Dia D no Recife, às 8h do sábado, na Upinha Dia Bongi/Novo Prado, que fica na Rua Isaac Markman, 100, no Bongi..

A campanha de vacinação é voltada para crianças de 1 ano a menores de 5 (4 anos, 11 meses e 29 dias), independente da situação vacinal. No Estado, o objetivo é imunizar, no mínimo, 95% dos 544.180 meninos e meninas pernambucanos inclusos na estratégia. Até a manhã desta quinta-feira (16.08), mais de 115 mil meninos e meninas já foram imunizados, totalizando 21% do público. Na manhã da sexta (18.08), uma reunião com gestores de saúde ocorrerá no auditório da SES, no Bongi, para tratar da campanha (leia mais abaixo).

“Precisamos mobilizar os pais e responsáveis para levarem as crianças para serem vacinadas durante o Dia D. Sabemos que esse público é o que pode sustentar uma propagação de casos, por isso a importância de ampliar a cobertura vacinal nessa faixa etária”, afirma a coordenadora do Programa Estadual de Imunização, Ana Catarina de Melo. A coordenadora ainda reforça que tem dialogado com os municípios para que sejam realizadas ações para chegar mais próximo a essas crianças. A Sociedade de Pediatria de Pernambuco e o Rotary Club Pernambuco também estão apoiando a campanha.

CAPACITAÇÃO – Nesta sexta-feira (17.08), das 8h30 às 12h30, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) reúne gestores da área para tratar da “Vacinação em crianças e adultos – dúvidas e controvérsias”. A iniciativa, em parceria com a Sociedade de Pediatria de Pernambuco, será realizada na sede da SES, no bairro do Bongi, no Recife. Também haverá transmissão para todas as 12 Gerências Regionais de Saúde (Geres), além dos auditórios do Imip e do Hospital Dom Malan (Petrolina).

Na programação, apresentação das coberturas vacinais no Estado e uma discussão para tirar as dúvidas dos participantes sobre a campanha e vacinação em geral. O secretário estadual de Saúde, Iran Costa; a coordenadora do Programa Estadual de Imunização, Ana Catarina de Melo; a pediatra e técnica da Gerência de Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente da SES, Madalena Oliveira; o presidente da Sociedade de Pediatria de PE, Eduardo Jorge Fonseca; e a infectologista Ângela Rocha participam do evento.

A reunião, que teve inscrição prévia, é voltada para profissionais da Atenção Primária, da rede de urgência e emergência, dos Programas de Imunização, Conselhos de Enfermagem e Medicina, entre outros profissionais de saúde interessados.

DADOS – Em 2018, Pernambuco notificou 102 casos suspeitos de sarampo (30 notificações dessas são do Recife). Desse total, 48 foram descartados (16 do Recife), 2 confirmados (ambas as confirmações são da capital pernambucana) e os demais estão em investigação. “Diante da ocorrência de sarampo no Brasil e da constante comunicação da situação epidemiológica feita pela SES, os profissionais de saúde estão sensibilizados para identificação e notificação de casos suspeitos da doença. Esse fato é importante pois é a partir dessas notificações que as secretarias municipais de Saúde e o Estado podem realizar ações de prevenção e controle”, destaca George Dimech.

Antes de 2018, foram confirmados 199 casos de sarampo em 2013 e 27 em 2014, além de 1 caso importado em 2012. Anteriormente, o último registro tinha sido em 1999, com 240 casos.

VACINA – Além da Campanha Nacional de Vacinação, que terá o Dia D neste sábado, a vacina tríplice viral, que protege contra o sarampo, caxumba e rubéola, é disponibilizada de rotina nos postos de saúde para o público de até 49 anos. Na rotina, ela deve ser aplicada em crianças com 12 meses, com um reforço aos 15 meses com a tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela). Para crianças acima de 2 anos e jovens e adultos até os 29 anos, não vacinados anteriormente ou que não se lembram, devem ser feitas 2 doses da tríplice viral, com intervalo de 30 dias entre elas. Adultos entre 30 e 49 anos (não imunizados ou que não lembram) devem tomar uma dose da tríplice. Profissionais de saúde não vacinados devem tomar duas doses com a vacina tríplice viral, independente da idade. Essas doses são disponibilizadas durante todo o ano nos postos de vacinação de todos os municípios.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade

  • Black Friday