Sambada de Maracatu encerra projeto de intercâmbio cultural

Festa de despedida, que durou até o dia raiar, teve apresentação especial dos maracatus rurais Leão Africano e Cambinda Nova, ambos de Nazaré da Mata


Após cinco edições consecutivas, do projeto de intercâmbio cultural do Maracatu Rural Leão Africano, de Nazaré da Mata, iniciativa se despede com apresentação especial de uma Sambada de Maracatu. O projeto, que promove encontro de maracatus rurais e de mestres e contramestres, uma vez por mês, teve sua última edição realizada no sábado, 28 de dezembro. O palco do evento, que reuniu uma multidão de admiradores da cultura popular, foi o Parque dos Lanceiros, localizado no município de Nazaré da Mata, região da Zona da Mata Norte.

O Maracatu Cambinda Nova, também de Nazaré da Mata, foi o grande convidado da festa. A agremiação carnavalesca se juntou ao anfitrião da casa, Maracatu Rural Leão Africano, e promoveram um grande encontro marcado pela poesia, colorido e, principalmente, tradição. Durante 9 horas de evento, o público conferiu, além dos maracatus, um duelo entre os mestres e contramestre, dos dois grupos de maracatus, que durou até as cinco da manhã.

Além disso, o grupo Canavial de Valmir e Mestre Biô, abrilhantaram a festividade, animando o público. “É sempre uma alegria poder participar de um projeto como esse, pois, isso só vem a contribuir para o fortalecimento do nosso trabalho” afirmou Valmir. Para o Secretário de Cultura de Nazaré da Mata, Flávio Nicetas, o projeto de circulação cultural teve um papel importante para cidade. “Nazaré da Mata é o berço da cultura de raiz. Aqui estão os principais grupos de maracatus e, respectivamente, os melhores mestres. E, poder sediar essa celebração, em nosso município, só valoriza nossa cultura e, claro, enaltece a autoestima da população” disse.

José Ednaldo Gomes, proponente do projeto, diz que o projeto teve suas expectativas atendidas. “Pode proporcionar aos moradores, turistas e demais visitantes da região, um encontro para prestigiarem à nossa cultura, é extremamente importante. A nossa tradição precisa desses espaços como forma de manter viva a tradição do maracatu rural” afirmou emocionado.

Integrante de um coletivo voltado à pesquisa de cultura popular, Barbara Matias, que veio de São Paulo, com um grupo de amigos, ficou encantada com o que viu. “Estou bastante contente em saber que, uma brincadeira tão simples, é festejada de forma tão brilhante por essas pessoas da comunidade local. Isso é demonstração de que nossas raízes vão seguir sempre viva em nossa memória e no sangue” declarou.

Iniciado desde Setembro, o projeto contou com a participação de vários maracatus. Entre eles: Maracatu Águia Dourada de Nazaré da Mata; Maracatu Leão Tucano de Nazaré da Mata. Nesses cincos meses, o projeto também buscou visitar sede dos maracatus rurais, levando as rodas de Sambada, até o dia raiar.

O projeto de intercâmbio cultural do Maracatu Rural Leão Africano, foi incentivado pelo Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura); Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe); e Secretaria de Cultura.  A Prefeitura de Nazaré da Mata, por meio da Secretaria de Cultura Municipal, também foi apoiadora do trabalho cultural.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade