Combate às arboviroses em Pernambuco ganha o reforço da Turma da Mônica

Gibis informativos da trupe criada por Maurício de Souza estão sendo distribuídos para as escolas da rede estadual


A Turma da Mônica é conhecida em todo o país por suas peripécias e planos infalíveis arquitetados no fictício bairro do Limoeiro. Agora, Mônica, Magali, Cebolinha e Cascão também serão lembrados como atores importantes no combate ao mosquito Aedes aegypti. Nesta quinta-feira (27.06), às 8h, o Governo de Pernambuco, por meio das secretarias estaduais de Saúde e Educação, inicia a entrega da revista da turminha intitulada “Um pequeno grande vilão” para alunos da Escola Estadual Professor Motta e Albuquerque (Rua Soares Moreno, 117, Tamarineira). O material traz, de forma lúdica, informações sobre como evitar os casos de arboviroses, além de apresentar a sintomatologia das doenças (dengue, chikungunya e zika). O secretário estadual de Saúde, André Longo, participa do lançamento, que contará com encenação dos alunos e atividades com arte-educadores.

Ao todo, foram adquiridas 300 mil revistinhas, com um investimento de R$ 182 mil, para distribuição entre os alunos do ensino fundamental I e II e para as bibliotecas das mais de 1 mil escolas estaduais em Pernambuco. No gibi, Mônica e seus amigos encontram um mosquito e decidem levá-lo até o cientista da turma, o Franjinha, para que ele descubra do que se trata o inseto. Após analisar, Franjinha confirma que eles estão diante do Aedes aegypti. Com isso, o grupo inicia uma jornada para eliminar todos os possíveis criadouros do mosquito no bairro do Limoeiro. O material também traz brincadeiras, como o jogo dos sete erros, para ajudar ainda mais na absorção do conteúdo pelos alunos.

“O combate às arboviroses deve ser um trabalho integrado da Saúde com diversos outros entes governamentais e da sociedade civil. Com o gibi da Turma da Mônica, queremos mobilizar os nossos estudantes para que eles também atuem nas suas casas e nos seus bairros como atores essenciais nesse trabalho de prevenção e controle do Aedes aegypti. Os jovens podem e devem ser vozes indispensáveis para propagar as informações para a comunidade, principalmente neste momento no qual estamos identificando um aumento de casos dessas doenças”, destaca o secretário André Longo.

“Estamos muito contentes em realizar esta ação em parceria com a Secretaria de Saúde do Estado. Esta mobilização é muito importante e é gratificante ver o envolvimento dos nossos estudantes e professores na discussão do tema em nossas escolas e nas ações voltadas para a luta contra o mosquito Aedes Aegypti, ainda mais com esse reforço de peso do material da Turma da Mônica. Contar com o engajamento dos nossos estudantes é um ganho enorme na luta contra o mosquito. Com certeza, as informações serão disseminadas não apenas nas nossas escolas, mas também nas famílias e comunidades”, pontua o secretário estadual de Educação, Fred Amâncio.

Neste ano, cerca de R$ 8 milhões estão sendo investidos pelo Governo de Pernambuco para o trabalho relacionado ao Aedes aegypti, o dobro do valor de 2018. Além dos gibis, a SES-PE tem trabalhado no aplicativo e-visit@PE (mais informações abaixo) e na compra de insumos para os municípios pernambucanos, para as 12 Gerências Regionais de Saúde (Geres) e para o nível central da SES, além de capacitações dos profissionais envolvidos nessa área. “O combate ao Aedes precisa do apoio de todos. Se cada um fizer sua parte na sua casa, no seu bairro, podemos diminuir o adoecimento da população”, reforça o secretário.

TECNOLOGIA – Neste ano, agentes de endemias de municípios pernambucanos responsáveis pelas visitas domiciliares para detecção, tratamento e eliminação dos focos do mosquito Aedes aegypti começaram a utilizar o aplicativo e-visit@PE. A ferramenta, criada pela Secretaria Estadual do Mato Grosso do Sul e cedida à SES-PE, permite o envio das informações das visitas em tempo real, agilizando e otimizando a consolidação dos dados e a tomada de decisões pelos gestores municipais e estadual. 

Para a realização do trabalho, a SES-PE cedeu smartphones com acesso à internet para mais de 250 agentes de 25 municípios pernambucanos pertencentes a 3 Gerências Regionais de Saúde. São 6 cidades da IV Geres (Pesqueira, Sanharó, Alagoinha, Ibirajuba, Poção e Jurema), as 7 da VII Geres (Belém do São Francisco, Cedro, Mirandiba, Salgueiro, Serrita, Terra Nova e Verdejante) e as 12 da X Geres (Afogados da Ingazeira, Brejinho, Carnaíba, Iguaraci, Ingazeira, Itapetim, Quixaba, Santa Terezinha, São José do Egito, Solidão, Tabira, Tuparetama). A expectativa é que, até o final do ano, todos os municípios pernambucanos estejam usando o aplicativo. 

DADOS EPIDEMIOLÓGICOS – Em 2019, os casos de arboviroses aumentaram mais de 100% em relação ao mesmo período do ano passado. Até 22 de junho, foram notificadas 31.187 suspeitas de dengue (14.303 em 2018 / + 118%), 4.100 de chikungunya (1.979 em 2018 / + 107,2%) e 2.186 de zika (714 em 2018 / + 206,2%). Chama a atenção as ocorrências no Sertão do Estado e o adoecimento de crianças.

“Este ano, notamos o aumento das ocorrências no Sertão, principalmente na Geres de Salgueiro, Petrolina e Serra Talhada, além do adoecimento de crianças e adolescentes. Para evitar o agravamento dos casos, os pais e responsáveis, além dos profissionais de saúde, precisam ficar atentos aos sintomas para fazer o manejo completo e manter a hidratação do paciente”, afirma o gerente geral de Controle de Doenças Transmissíveis da SES, George Dimech.

O gerente lembra que, neste ano, já foram realizadas duas capacitações sobre manejo clínico do paciente com arboviroses, focando, principalmente, na assistência às crianças e aos idosos. Ao todo, mais de 500 médicos e enfermeiros de todas as 12 Gerências Regionais de Saúde (Geres) participaram dos treinamentos. Também foi realizado encontro sobre os casos neurológicos relacionados às arboviroses, totalizando cerca de 200 participantes.

  • Últimas Notícias

  • Vagas de Empego

  • Publicidade